Relaxamento

Conheça 5 mitos sobre o sono

  • 6 de abril de 2018
5 mitos sobre o sono

Dormir bem é de grande importância para a saúde e qualidade de vida. A privação do sono pode afetar o aprendizado, a memória, a produtividade e até a estabilidade emocional. Com tanta coisa em jogo, é natural que existam muitas teorias a respeito do assunto, no entanto, algumas delas são apenas mitos.

Se você já perdeu uma noite de sono, sabe bem a falta que faz, certo? Mas pior do que passar um dia sonolento por conta de uma noite maldormida é sofrer os efeitos que a baixa qualidade do sono provoca em longo prazo.

Então, para evitar que você perca tempo com crendices, elaboramos esta lista com alguns mitos sobre o sono. Acompanhe!

1. Dormir 8 horas é uma necessidade

Cada pessoa tem um ritmo circadiano próprio, que é diretamente influenciado pelo comportamento. De forma geral, adultos precisam de pelo menos 6 a 7 horas de descanso para completar os estágios do sono, no entanto, não existe uma verdade absoluta.

Algumas pessoas precisam de mais do que 8 horas, enquanto outras estão adaptadas às 6 horas mínimas. Além disso, não basta cumprir uma quantidade de horas dormindo se a qualidade do sono for ruim, com diversas interrupções ou em uma posição inadequada.

2. Idosos precisam de menos horas de sono

Muitas pessoas acreditam que idosos dormem menos por terem menos necessidade de descanso, mas isso não é verdade. Ocorre que, à medida que envelhecemos, passamos menos tempo no estágio profundo do sono.

Por isso, pessoas mais velhas acordam mais facilmente e mais vezes durante a noite — para ir ao banheiro, por exemplo. Esse déficit costuma ser compensado com pequenos cochilos ao longo do dia.

Além disso, pessoas na terceira idade têm mais tendência a apresentar problemas médicos que afetam o sono, como a insônia.

3. Assistir à TV ajuda a dormir

O hábito de assistir à TV antes de dormir é bastante comum, inclusive entre crianças. Na tentativa de acalmá-los e mantê-los deitados até o sono vir, muitos pais deixam os filhos adormecerem com a telinha ligada.

Entretanto, a luz azul emitida pelo aparelho interrompe a produção de melatonina — hormônio responsável pelo sono —, causando o efeito contrário ao desejado, ou seja, a pessoa fica mais alerta e desperta. O mesmo vale para outros dispositivos eletrônicos, como tablets e celulares.

4. Roncar é natural

Embora, em alguns casos, o ronco seja inofensivo, em muitos outros é indicativo de um problema, a apneia do sono.

Trata-se de pequenas pausas na respiração durante o sono, dificultando a passagem do ar pelas vias respiratórias. O ronco se dá pela vibração das vias aéreas em virtude da dificuldade para respirar. O esforço para recuperar o fôlego pode levar a breves, mas frequentes, interrupções do sono.

5. Trocar o dia pela noite é normal

Ao contrário do que muitos pensam, o sono do dia não substitui o noturno. À noite, diversas condições favorecem o descanso, como a ausência de luz, o aumento da secreção de melatonina, a redução da temperatura corporal, entre outros.

Durante o dia, mesmo que se consiga dormir uma boa quantidade de horas, geralmente a pessoa desperta algumas vezes, além de não atingir o sono mais tranquilo, perdendo qualidade.

Como vimos, são muitos os mitos sobre o sono, e a crença em alguns deles pode, inclusive, atrapalhar. Dessa maneira, é preciso estar atento às atitudes que efetivamente ajudam a dormir melhor, como investir em um bom colchão, fazer uma refeição leve à noite e praticar meditação.

Agora que você já conhece alguns mitos, leia também sobre os segredos das fases do sono.

Colchões Americanflex

Sem Comentários

Responder