Decoração

Saiba como montar o quarto do seu bebê

  • 23 de setembro de 2018

Aguardar uma criança que está a caminho representa, ao mesmo tempo, muitas alegrias e preocupações para os pais. Eles precisam estar prontos para lidar com novos desafios, um preparo que começa com o planejamento de um ambiente para o pequeno: o quarto do bebê.

Esse cômodo deve ser pensado de modo a receber adequadamente o mais novo integrante da família. Ou seja, mais do que deixar o quartinho bonito, é preciso garantir que ele seja prático e funcional.

Dessa maneira, é primordial levar em consideração as atividades que serão desempenhadas nessa parte da casa, como trocar fraldas e amamentar. Além disso, não se pode esquecer que bebês crescem rapidamente e que, em pouco tempo, começarão a explorar seus arredores — logo, segurança é imprescindível.

Este é um guia completo com orientações sobre como organizar o quarto do bebê. Aqui, mostraremos dicas que unem conforto, proteção e decoração, a fim de ajudar você a projetar o cantinho da criança. Tenha uma ótima leitura!

Por que é tão importante planejar o quarto do bebê?

Selecionamos alguns itens para explicar o que um planejamento caprichado pode trazer para toda a família. Vamos lá!

Priorizar a qualidade do sono

Ao preparar um cômodo aconchegante, a família reconhece a importância de um sono de qualidade para o bom desenvolvimento físico e mental da criança. Um lugar limpo, organizado e com iluminação adequada é um dos principais fatores da higiene do sono, a qual afeta diretamente o “dormir do bebê”.

Além disso, a preparação de um quarto prático e convidativo favorece vivências familiares no local. Determinar uma rotina diária que envolva a criança, os pais e o ambiente estimula o estabelecimento de horários para as atividades, incluindo o ritual do sono.

Estabelecer vínculos afetivos

A preparação desse cantinho especial está entre as primeiras atitudes que levam a criar vínculos afetivos com a criança que vai nascer. Para a mulher, essa organização pode ser ainda mais significativa — planejar esse novo ambiente é um jeito de materializar o fato de que ela se tornará mãe.

Além disso, separar um momento com antecedência para pensar nessas questões ajuda a antever possíveis dificuldades da maternidade e da paternidade. Com esse treinamento prévio, o casal ganha tempo para conversar e descobrir como lidar com cada desafio que surgirá após o nascimento do bebê.

Pensar mais à frente

Quanto antes iniciar a tarefa, mais tempo mamãe e papai terão para planejar os itens do ambiente. Além de deixar a família mais tranquila, isso contribui com a redução de gastos a longo prazo. Por exemplo, o casal pode dedicar mais tempo à procura de móveis que permitem adaptações para acompanhar o crescimento da criança.

  • um trocador de fraldas com altura regulável pode virar uma mesa de estudos;
  • a poltrona de amamentação pode ser revestida para ser usada para leitura;
  • o berço pode ser transformado em uma mini cama.

Evitar surpresas de última hora

Como o cantinho da criança tem data para estar pronto, é desagradável ter problemas em cima da hora. Descobrir que os móveis comprados foram entregues errados, por exemplo, pode desanimar ou desesperar os pais. Contudo, se houver bastante tempo hábil para fazer a troca, será mais fácil de lidar com essa situação. Além disso, pode-se:

  • estudar melhor a disposição ideal dos móveis;
  • organizar as fraldas por tamanho no armário;
  • etiquetar as gavetas para indicar onde ficarão remédios e acessórios.

Por fim, haverá tempo para treinar determinadas habilidades, como aferir se o quarto pode oferecer algum risco ao bebê ou aos próprios pais, como quinas de móveis ou tomadas desprotegidas.

Afinal, como montar o quarto do bebê?

Para montar um ambiente agradável e equilibrado, capaz de proporcionar o desenvolvimento cognitivo adequado à criança, algumas questões essenciais devem ser observadas. Confira!

1. Acessórios

Quartos infantis geralmente têm muitos acessórios que facilitam a vida dos pais. Conheça melhor aqueles considerados indispensáveis para quando o bebê chegar.

Kit higiene

Esse kit é um dos acessórios mais utilizados nos primeiros meses após o parto. Em geral, ele é composto de uma cesta e de um jogo de potes. Em alguns casos, também pode ser acompanhado de um abajur que tenha a mesma decoração dos demais itens.

As partes desse kit se complementam. Na cesta, podem ser guardados medicamentos, álcool em gel, pomadas e lencinhos umedecidos. Nos potes, você pode colocar cotonetes e algodão.

Alguns conjuntos vêm com opção de porta-fraldas, lixeira, garrafa térmica e uma caixa especificamente para remédios, também chamada de farmacinha. Independentemente do modelo escolhido, essas coleções são ótimas para manter os produtos de higiene sempre limpos e organizados.

Kit berço

O kit berço pode garantir mais conforto e segurança ao bebê, uma vez que é formado por almofadas, travesseiros e protetor de berço.

Ao colocar o recém-nascido para dormir, é recomendado deixá-lo de lado para que, se ele regurgitar leite, não se engasgue durante o sono. Assim, os pais podem apoiar uma almofada do kit berço nas costas da criança, com o intuito de forçá-la a permanecer naquela posição.

As proteções de berço são mais importantes quando o bebê é bastante novinho. Quando ele começar a ficar mais independente, os pais precisam ficar atentos, pois algumas crianças são bem sapecas e podem se apoiar nesse acolchoado para escalar e fugir do berço.

Baús e caixas organizadoras

Baús e/ou caixas são ótimos acessórios para compor o quarto do bebê. Eles podem ser decorados e, assim, ajudarem na harmonização do ambiente. Também auxiliam na melhor disposição dos demais objetos, o que facilita a limpeza e a arrumação do ambiente.

Logo após a chegada do recém-nascido, os baús podem ser usados para guardar roupinhas ou algumas toalhas e roupas de cama. Quando a criança for mais velha, essas mesmas caixas podem guardar os brinquedos ou os sapatos.

Dispor de um acessório de fácil acesso e manipulação para a organização dos pertences do bebê é substancial no momento de ensiná-lo a manter a ordem.

Por exemplo, após a brincadeira, os pais podem demonstrar como guardar os brinquedos dentro do baú. Assim, sempre depois da diversão, pode-se pedir para a criança ajudar na organização. Tal prática estimula o senso de dever e de cooperação.

2. Berço

Como comprar o berço é uma das grandes preocupações na hora de arquitetar o quarto do pequeno. Não à toa: é ali que o pequeno vai dormir, e o sono de qualidade é crucial para o crescimento e para a qualidade de vida do ser humano. Acompanhe algumas sugestões.

Modelo

Os modelos dos berços podem variar, desde os tradicionais até os mais modernos com várias funcionalidades. Um exemplo são os móveis que têm a caminha, o trocador de fraldas e/ou cômoda acoplados.

Ou, ainda, se você quer planejar um quarto já pensando no futuro, existem opções de berço que podem virar cama. São soluções que reduzem a necessidade de reformas no quarto depois de poucos anos.

Segurança

Independentemente do modelo, deve-se optar por um móvel certificado pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), o qual garante que determinadas normas de segurança tenham sido cumpridas na fabricação do produto.

Por exemplo, a distância segura entre as grades laterais não deve ultrapassar 6,5 cm, para que o bebê não consiga passar a cabeça por ali. Já o espaço entre o estrado e as laterais do berço não pode ser maior do que 2,5 cm, a fim de evitar que a criança prenda mãos ou pés.

Outro ponto que merece atenção são as quinas desse móvel. Elas devem ser arredondadas e sem muitos detalhes.

Colchão

Não apenas comprar um bom berço, mas também garantir a aquisição de um colchão de qualidade é essencial para o bom sono dos filhos.

Contudo, mesmo com todos esses cuidados, os pais devem prestar atenção ao desenvolvimento físico da criança. Ao sinal de dores ou de curvaturas na coluna, como escoliose ou cifose, deve-se procurar um médico para que o problema não se agrave.

3. Decoração

Decorar o quarto do bebê é muito relevante para que a família se reconheça no local. Objetos simples e que tenham história — como fotografias e brinquedos antigos dos pais — são ótimas peças para compor o ambiente sem gastar muito.

Na medida certa

Decorar é importante, mas mamãe e papai devem se segurar para não perder a mão nos enfeites. A decoração pode atrapalhar as necessidades da criança ou oferecer riscos a ela.

Quando em excesso, também pode representar uma abundância de informação visual, a ponto de confundir a criança, além de tornar o ambiente desconfortável.

O quarto precisa ter um bom espaço livre para circulação e precisa ser prático. Portanto, evite sobrepor caixas ou objetos, pois você terá muito trabalho para recorrer ao item que estiver embaixo da pilha.

Fonte de estímulos

decoração de quartos infantis pode ter dupla função: além de deixar o cantinho fofo e bonito, ela também pode ser uma ótima fonte de estímulos para o desenvolvimento da criança.

Os brinquedos podem ser dispostos de modo que o pequeno consiga ter acesso a eles quando desejar. Com relação ao berço, saiba que ele não precisa ter, necessariamente, grades altas. Esses móveis podem ser abertos e com o leito baixo, de forma a permitir que o bebê suba e desça quando quiser.

Estímulos como esses fomentam a autonomia desde os primeiros meses. Contribuem para a formação de um pequeno cidadão crítico e competente.

Estilos

Um estilo decorativo pode variar do clássico ao moderno. Para chegar ao resultado, basicamente tudo entra no “pacote”: móveis, cores, acessórios, brinquedos, iluminação, entre outros pontos.

Seja qual for a escolha dos pais, a dica é seguir apenas um tipo de decoração. Se a opção for misturar elementos de naturezas diferentes, deve-se fazê-lo com cautela.

O cuidado está em não deixar que os objetos formem vultos ou sombras, pois isso deixaria o quarto um lugar incômodo visualmente.

4. Iluminação

A iluminação do quarto é um item que não pode ser ignorado. Além de também poder funcionar como decoração, ela facilita o trabalho dos pais quando estes precisam cuidar da criança de madrugada.

Qualidade do sono

Temos um relógio biológico interno que regula o horário que devemos ir para a cama e quando acordamos. Essa sincronia é fundamental, pois ela regula diversos ritmos metabólicos, além de estar associada à atenção e ao bem-estar.

Com a criança, a ideia é igual: o sono será importantíssimo para que ela se desenvolva bem física e intelectualmente. A família pode contribuir para tornar a hora da soneca ainda mais confortável e, para isso, a dica é ficar de olho na iluminação.

A quantidade e o tipo de luz emitida durante ou logo antes do sono podem inibir a produção de melatonina, o hormônio responsável pelo sono. Isso interfere diretamente na qualidade e na duração do sono, então, o bebê pode ficar mais cansado durante o dia.

Tipo de luz

Como a luz branca tem efeitos negativos durante a noite, ela é mais recomendada para ambientes em que as pessoas precisam estar acordadas, como cozinhas e banheiros.

No quarto do bebê, você pode optar por usar luz vermelha durante a noite. Além de não alterar o ciclo de produção de melatonina, é possível que esse tipo de onda ainda estimule o sistema imunológico e previna dores de cabeça.

Luminárias

As luminárias podem ser de chão ou de mesa. Uma luminária de chão pode oferecer uma luz suave no momento de amamentar o bebê à noite, ou de assisti-lo quando ele estiver doente.

Já um abajur de mesa com intensidade de luz regulável pode ser útil para garantir um soninho tranquilo à criança. Pode-se escolher um modelo básico que, além de mais baratos, combinam com qualquer decoração.

Janelas

As janelas permitem a entrada de luz natural no quarto, além de arejá-lo. Contudo, o ideal é evitar posicionar o berço próximo a elas, pois a luz pode ser muito forte e em excesso para o bebê. Sem contar que aumenta a exposição do seu filho às correntes de ar e, com isso, ele fica mais suscetível a doenças.

Se não houver outro lugar para dispor o berço, uma alternativa é colocar cortinas para que a proteção esteja garantida!

5. Cor

As cores têm diferentes significados e refletem muito sobre os desejos e gostos do casal.

Tons

Objetos de diferentes cores refletem luz com comprimentos de onda distintos. Dessa forma, esses raios luminosos são captados pelos nossos olhos e podem ter diversas interpretações no nosso cérebro.

Uma dessas variações se dá nos diferentes tons das cores. As mais fortes podem ser interpretadas como mais vívidas e intensas. Por outro lado, tons pastéis podem ser entendidos como tranquilizadores e de interferência mais sutil.

Bebês, assim como nós, são muito sensíveis ao que se passa ao seu redor. Portanto, uma das recomendações é manter o equilíbrio entre diferentes tons de cor no quarto. Com isso, você proporciona ao mesmo tempo estímulos para o crescimento saudável, bem como tranquilidade.

Procure alternar os tons dos objetos, móveis e decoração física. Por exemplo, se as paredes forem escuras, opte por móveis claros e com objetos em tom intermediário.

Cores de menino e de menina

Antigamente, a cor azul era associada aos meninos, e a rosa, às meninas. Essa regra valia para basicamente tudo: da parede do quarto à mamadeira. Com a modernização das relações sociais e da conquista de novos espaços públicos pelas mulheres, tais convenções vêm perdendo cada vez mais força.

Cores mais frias, como azul e verde, têm se tornado uma opção para a decoração de quartos femininos. Do mesmo modo, cores mais quentes, como o vermelho ou o rosa, também podem compor ambientes masculinos.

Assumir que não existem “coisas” de menino e de menina pode, inclusive, auxiliar na formação de pessoas que almejam um mundo mais igualitário.

Adaptações para o futuro

Quando menos se espera, os filhos já estão caminhando e indo para a escola. Com o avançar da idade, eles passam a manifestar cada vez mais suas vontades e preferências. Assim, é natural que a casa vá sofrendo modificações de modo a acompanhar esse crescimento.

Diante disso, uma sugestão é escolher cores diferentes e em tons variados para compor o quarto do bebê. Dessa maneira, há mais chances de a criança continuar se identificando com o local, mesmo depois de alguns anos. De quebra, evita reformas em um curto intervalo de tempo, o que reduz os gastos com o ambiente.

6. Segurança

Como diz o ditado, “é sempre melhor prevenir do que remediar”. Assim, segurança no quarto infantil nunca é demais. Acompanhe as dicas abaixo.

Móveis

Na hora de escolher os móveis, dê preferência àqueles que tiverem quinas arredondadas. Esse tipo de acabamento impede que os bebês se machuquem nesses cantinhos.

A disposição dos móveis em um quarto infantil também pode interferir na segurança do bebê. Evite deixar o berço, as cadeiras e as poltronas perto da janela, pois a criança pode subir e se pendurar para olhar para fora do quarto.

Disposição dos objetos

Evite deixar muitos objetos dentro do berço, principalmente quando os bebês já conseguem ficar de pé. Nessa fase, brinquedos e travesseiros podem ser usados como apoio para escalar o berço. Portanto, a criança corre o risco de cair no chão.

Além disso, esses objetos podem sufocar ou machucar o pequeno. Também para evitar lesões, orienta-se a fixar móbiles e enfeites que ficam no alto, pois o bebê terá muita curiosidade em puxá-los.

Por fim, procure não deixar itens de higiene — pomadas, shampoos, sabonetes — perto e de modo acessível à criança. Ela pode colocar na boca e ingerir ou se engasgar com algum desses produtos.

Grades nas janelas e portas

Com um bebê em casa, não se pode esquecer de colocar grades nas janelas e nas portas. Se você morar em apartamento, estenda essa preocupação para a varanda também.

Pense na ideia de usar redes de proteção. Além de mais baratas, podem ser facilmente removidas depois que a criança crescer. Fora que elas não prejudicam a paisagem, por serem esteticamente menos agressivas do que as grades.

As grades nas portas são pequenos portões que podem ser instalados no quarto, para que o seu filho não saia engatinhando pela casa sem a sua supervisão. Outra solução é instalar essas grades no topo e no pé da escada, com o objetivo de evitar que a criança sofra algum acidente.

Tapetes e cortinas

Recomenda-se que os tapetes sejam presos no chão com uma fita dupla face. Ao fazer essa fixação, o tapete não ficará mais com dobras, o que diminui o risco de escorregões ou tropeços.

Em vez dos tapetes, que tal usar emborrachados de EVA? Esse material não escorrega, isola o pequeno da friagem do piso e ainda pode ser um ótimo local para deixá-lo brincando.

Se possível, evite comprar cortinas ou persianas que tenham cordas. Esses fios que ficam pendurados, balançando com o vento, chamam a atenção dos filhos, que podem se enrolar e se lesionar neles.

Tomadas

Veja bem: todas as tomadas da casa, e não só as do quartinho, devem ter protetores ou tampas de plástico. Esse é um ponto indispensável, pois, logo que começam a engatinhar, os bebês ficam propensos a enfiar os dedinhos em todos os cantos da casa.

Pisos

Pisos de vinil, cerâmica e madeira são as melhores escolhas para compor o mais novo quartinho da casa. Esses materiais são fáceis de limpar, não acumulam muita poeira.

A diferença entre essas opções está em características específicas de cada material. O vinil permite uma maior variação nas estampas. Por conta disso, contribui bastante na decoração do ambiente.

Já a cerâmica, considerada um piso frio, tende a deixar o lugar mais fresco, o que pode ser um problema para regiões com um inverno mais rigoroso. Por outro lado, a variação de temperatura da madeira é menor, mas ela tem como desvantagem a possibilidade de manchar por absorver água com facilidade.

Portanto, a escolha do piso ideal depende não apenas do seu gosto e das suas preferências, mas também do lugar onde você mora.

Montar o quarto do bebê é uma tarefa que deixa muitos casais perdidos. Entretanto, essa é uma fase que deve ser aproveitada ao máximo e com muita alegria. Se você tomar as medidas certas, o quartinho ficará lindo e terá tudo o que for necessário para o bom desenvolvimento do seu filho.

Gostou do nosso guia completo? Que tal receber conteúdos sobre saúde, bem-estar e qualidade de vida? Assine a nossa newsletter e fique por dentro de tudo!

1 Comentário

Responder