Convidados

O que é a doença do sono, causas, sintomas e tratamentos

  • 20 de outubro de 2018
doença do sono

Você já ouviu falar sobre a doença do sono? Há quem duvide de que a enfermidade exista de verdade. Mas saiba que, além de existir, pode levar até mesmo à morte. Ela é causada por uma mosca africana e traz diversos prejuízos, como a inabilidade de dormir durante a noite, dores de cabeça e até convulsão.

A boa notícia é que o problema tem cura, mas o desafio é identificar o mal precocemente para que o tratamento seja mais efetivo. Quer entender melhor a doença e conhecer os sintomas e tratamentos? Então, continue a leitura!

O que é a doença do sono?

A Tripanossomíase Humana Africana, mais conhecida como doença do sono, é uma infecção causada pela picada das moscas tsé-tsé. Esse inseto é encontrado em 36 países africanos, onde a taxa de mortalidade costuma ser bem alta. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), os casos da mazela já chegaram a 30 mil por ano em 2015.

No Brasil, não encontramos essa espécie de mosca, mas quem já viajou para a África ou visitou o continente em algum momento deve ter um cuidado redobrado. É que os sintomas mais marcantes da doença do sono podem demorar anos para aparecerem.

A doença se divide em dois tipos: trypanosoma brucei gambiense e trypanosoma brucei rhodesiense. O primeiro é o mais comum e atinge a maioria dos infectados. É nesse caso que a identificação fica mais difícil, já que os sintomas evidentes podem custar bastante a surgirem.

O parasita causa uma infecção crônica que costuma chegar até o sistema central nervoso, provocando grandes danos. As regiões mais recorrentes deste tipo de doença do sono são as áreas ocidental e central do continente africano.

Já a segunda forma da enfermidade atinge uma proporção muito menor de pessoas, mas tem seus efeitos bem mais intensos. Um infectado com trypanosoma brucei rhodesiense percebe os sintomas mais rapidamente, e também costuma ter seu sistema nervoso central atingido mais depressa.

A doença acontece assim: uma mosca tsé-tsé pica uma pessoa ou animal contaminados e adquire o parasita. Dessa forma, repassa o parasita por meio de novas picadas, sejam em humanos ou animais selvagens, domésticos e o gado.

Além da transmissão por meio do inseto, há outras duas formas de contrair a mazela: de mãe para filho e por meio de agulhas contaminadas.

Quais são os sintomas?

Uma pessoa infectada pela tripanossomíase vive dois estágios da doença. Em um primeiro momento, geralmente uma ou três semanas após a picada, os sinais enviados pelo corpo são quase que imperceptíveis, impossibilitando o diagnóstico.

Nesse caso, os indícios podem ser mínimos e indefinidos, como dores de cabeça, febre, fraqueza, dores nas juntas e coceira. A segunda etapa acontece quando os sintomas ficam mais óbvios, mas, ao mesmo tempo, mais difíceis de tratar.

Alguns deles são mudanças de humor ou comportamento, distúrbios sensoriais ou de coordenação, fraqueza, convulsões e a principal delas: a incapacidade de o doente dormir à noite, enquanto é tomado pelo sono durante o dia. É daí que vem o nome mais popular da tripanossomíase: doença do sono.

Como é feito o diagnóstico?

Se você está de viagem em alguma área da África Subsaariana ou já esteve no local e perceber alguns dos sintomas descritos neste artigo, o mais prudente a ser feito é buscar ajuda médica imediatamente.

O quanto antes a doença for diagnosticada, maiores são as chances de cura. Inclusive, os medicamentos utilizados nesses momentos são mais fáceis de administrar e menos tóxicos. Em caso de suspeita, procure um clínico geral ou um infectologista,

Lembre-se de que é importante esclarecer algumas questões durante a consulta para facilitar o diagnóstico. Sempre informe os locais onde esteve e a incidência da doença do sono na área, o período da viagem e seu histórico de saúde. Além disso, anote todos os sintomas percebidos e apresente ao médico.

Qual é o tratamento?

Como citado, identificar a enfermidade em seu estágio inicial é bem difícil, mas quando ela é finalmente diagnosticada, o paciente precisa passar por uma punção lombar. O procedimento é doloroso, mas serve para verificar a presença do parasita e o estágio da doença, facilitando a escolha do tratamento mais adequado.

O tipo de medicação depende diretamente da fase em que a doença do sono se encontra. No primeiro estágio, são usados remédios chamados de pentamidina e suramina, que têm efeito mais brando e eficaz.

Já no segundo estágio, é necessário usar medicações mais fortes, que ultrapassam a barreira hematoencefálica para alcançar o parasita. Essas composições podem apresentar efeitos colaterais. O tratamento é feito com terapêutica de nifurtimox-eflornitina, ou NECT.

Como se prevenir?

Há também formas de evitar a doença. A mais eficiente delas é evitar frequentar os países que mais sofrem com o problema. Mas, se isso não for possível, tem como tomar algumas atitudes para se prevenir.

Usar roupas de tecido grosso e mangas longas é uma maneira de evitar a exposição da pele e, consequentemente, a picada da mosca. Além disso, você também pode utilizar repelentes para espantar o inseto.

Outra dica é instalar telas protetoras nas janelas. É possível ainda usar aparelhos elétricos que emitem uma luz que atrai e mata a mosca. Afinal, a melhor forma de erradicar a doença é acabando com a população da mosca tsé-tsé.

A parte boa é que é, sim, possível conviver com o problema, principalmente quando é identificada cedo. Além disso, as ocorrências da doença do sono têm diminuído, segundo a OMS. Ainda de acordo com o órgão, 3 mil casos foram constatados, contra 37 mil casos em 1999.

Além disso, o órgão conseguiu parcerias globais e acordos políticos que resultaram em generosas doações. Assim, programas de prevenção e combate da doença do sono foram instalados nos países mais afetados.

Você deve ter notado que a doença do sono é um problema sério, que precisa ser diagnosticado cedo para que as chances de recuperação aumentem. Por isso, se você esteve em regiões da África, deve ficar atento aos possíveis sintomas e procurar um médico, em caso de qualquer suspeita!

Você já conhecia a doença do sono? Deixe um comentário neste post e compartilhe suas experiências sobre o assunto conosco!

Sem Comentários

Responder