Dicas

Entenda a importância da escolha de um bom colchão

  • 15 de maio de 2017
Menina deitada no colchão Americanflex

Nada como ter uma boa noite de sono em uma cama confortável, não é mesmo? De fato, repousar o corpo em um colchão de alta qualidade faz toda a diferença no dia seguinte. Mas, afinal de contas, como escolher um colchão?

Essa é a primeira pergunta que muita gente se faz na hora de adquirir o produto — e não é por menos. A escolha de um bom colchão proporciona melhor saúde e bem-estar, fornece energia para as tarefas do dia a dia e estimula a produtividade no trabalho.

São por esses e outros motivos que investir em um colchão de qualidade é algo sério. Um modelo de excelência poderá durar bastante tempo e se revelar um ótimo custo-benefício.

Neste post, você vai descobrir como escolher um colchão, quais os modelos existentes, suas características e como conservá-los por mais tempo. Antes, entenda melhor por que ter um colchão de qualidade é fundamental!

Por que é importante ter um colchão de qualidade?

Os colchões de má qualidade — ou aqueles inadequados para o seu corpo — podem causar problemas de sono, dores e desgastes na coluna. As pessoas com o sono leve são ainda mais sensíveis ao desconforto proporcionado por um colchão ruim. Elas sentem incômodos justamente em um momento que deveria ser de relaxamento.

Essa tensão é prolongada para o restante do dia e ocasiona problemas como estresse, cansaço físico, falta de energia, dores de cabeça, dores musculares, enxaquecas e dificuldades para se concentrar.

Por isso, é recomendado analisar bem o modelo antes de efetuar a compra. Às vezes, um colchão mais maleável pode ser prejudicial à sua saúde, mas o mesmo pode ser dito das espumas mais firmes e consistentes.

Para acertar na escolha, é fundamental avaliar o peso e as medidas das pessoas que deitarão sobre o colchão — além de suas preferências e demandas. Assim, é possível levar para casa o produto perfeito.

Afinal, um colchão apropriado às suas características auxilia na correção de vícios posturais e minimiza as dores musculares. Posições viciosas ao deitar eventualmente causam dores nas costas. Livrar-se delas consiste em ter mais qualidade em suas horas de sono e mais saúde em sua vida.

Quais são os modelos disponíveis?

Feitos em molas ou espuma, os colchões podem ser de solteiro, casal, queen e king. Nesse sentido, a diferença entre eles está particularmente no tamanho. Aliás, tal fator é essencial por permitir o conforto de quem utiliza o produto.

Mesmo dentro de cada categoria, as dimensões podem variar. Logo, é possível encontrar colchões de solteiro de 78 x 188 x 22 cm, mas também um pouco maiores, de 100 x 200 x 27 cm, considerando largura, comprimento e altura.

Por sua vez, os colchões de casal estão disponíveis nas medidas 128 x 188 x 14 cm, assim como 138 x 188 x 28 cm, entre outras pequenas variações, a depender do modelo escolhido.

Para quem não abre mão de alternativas maiores, há os colchões queen e king. A primeira opção chega a medir 158 x 198 x 28 cm, já o segundo modelo 193 x 203 x 28 cm. Logo, além de mais extensos, eles são altos. Isso significa ainda mais espaço e conforto durante as noites de sono

Quais os tipos de espuma utilizados?

Há diferentes tipos de espuma utilizados nos mais variados modelos de colchão. Descubra quais são eles!

Convencional

Feito com materiais sintéticos e flexíveis, o produto garante uma baixa deformação permanente. Portanto, tem grande resistência ao peso do corpo.

Viscoelástica

Desenvolvido pela Nasa, o produto molda-se ao corpo de forma eficiente. Ao acomodar adequadamente os pontos de tensão, permite um conforto maior e até mesmo a melhora da circulação. Alguns colchões contam com a espuma viscoelástica gel, que garante a dispersão do calor.

HR

Trata-se de uma espuma extremamente confortável, que promove a durabilidade de um colchão pelo período de cinco anos, no mínimo. Esse material resiste bem às pressões e tem a capacidade de recuperar a forma original rapidamente.

Há outras versões desse tipo de espuma, a HR Soft e Hiper Soft. Além de oferecer os benefícios da HR convencional, tais alternativas proporcionam ainda mais maciez, de maneira a gerar alto conforto durante o repouso.

Látex

O látex adapta-se ao formato do corpo, independentemente da posição de preferência para dormir. O material é conhecido também por não se deformar e pela ótima elasticidade, além de permitir a ventilação contínua ao colchão. Há, ainda, a versão látex gel, ideal para dispersar o calor.

Quais as camadas de conforto adicionadas ao produto?

Para ter noites de sono ainda mais tranquilas e confortáveis, você pode adquirir um colchão com camadas de conforto. Saiba quais são as opções disponíveis:

  • pillow top — é uma camada localizada sobre o colchão, como se fosse um travesseiro gigante;
  • euro pillow — esse adicional de conforto é semelhante ao anterior, mas tem um acabamento mais refinado;
  • euro top duplo — as camadas estão presentes tanto na parte de cima quanto na de baixo. Assim, é possível usar o colchão dos dois lados com o mesmo conforto;
  • euro in — nesse caso, a camada de conforto fica dentro do colchão;
  • duplo euro in — o adicional de conforto também é inserido internamente, em ambos os lados do colchão.

Afinal, como escolher um colchão?

Os colchões que conhecemos hoje passaram por muitas modificações ao longo do tempo, a fim de se adequar aos corpos humanos da melhor forma possível. Desde os montinhos de folhas para dormir das sociedades primitivas, os colchões de água dos persas até os colchões de palhas e penas dos renascentistas, muita coisa mudou.

Hoje em dia, temos uma variedade de modelos, tamanhos e formas de fabricação diferentes, que podem deixar o consumidor em dúvida na hora de selecionar o produto ideal. Veja, a seguir, algumas dicas para você aprender como escolher um colchão!

Considere a densidade do colchão

Essa característica varia de acordo com o peso da pessoa que utilizará o colchão, conforme sua resistência. Se o produto não for adequado ao peso, vai se deformar facilmente.

Então, alguns pontos do corpo ficarão mal distribuídos ao deitar. Isso causa tensões e dores ao longo do tempo. Se o colchão for para casal, leve em conta o cônjuge de maior peso. A densidade ideal poderá ser calculada de acordo com esse fator e a altura da pessoa.

Em alguns sites de venda de colchões, é possível encontrar tabelas de densidade ou mesmo calculadoras de densidade, de maneira a facilitar a escolha e a compra por meio do e-commerce.

Confira a tabela divulgada pelo Instituto Nacional de Estudos do Repouso (Iner):

(a imagem se encontra no link do conteúdo original)

Veja qual é mais adequado para a coluna

Um bom colchão não pode ser muito mole, nem duro demais. Ele será o responsável por manter a coluna bem alinhada e os músculos relaxados na hora do sono. Um colchão muito mole pode encurvar a sua coluna, o que trará problemas posteriores para suas costas.

Já um item muito firme pode provocar tensões e deixar a musculatura cansada, em vez de relaxar. Além disso, uma alternativa imprópria pode causar dores nas juntas, nos quadris e nos ombros.

Entenda a maneira como você dorme

Se você é uma pessoa que se mexe bastante durante o sono, dê preferência aos colchões “recheados” mais firmemente, mas sem que o material saia do lugar. O tipo de mola pode proporcionar essa diferença.

As molas ensacadas, por exemplo, deixam os colchões mais firmes. Se um casal estiver sobre a cama, e apenas uma pessoa se mexer, a outra quase não sentirá o movimento realizado.

Não caia no discurso dos vendedores

Muitas vezes, os vendedores têm frases preparadas previamente para vender os colchões que eles desejam. Mas tais opções podem não ser adequadas para você. O anúncio de “mais conforto” deve ser interpretado com cuidado.

Nunca se esqueça de levar em conta os aspectos de densidade, material de fabricação e durabilidade do colchão, de ao menos cinco anos.

Não se deixe levar pela beleza

Cada vez mais, os colchões trazem acabamentos luxuosos e apresentam o melhor aspecto para serem exibidos nas lojas. Porém, toda essa beleza ficará por baixo das suas cobertas. Pense, obviamente, sobre o tecido do forro, pois isso será relevante para o conforto.

O poliéster e a viscose, por exemplo, são tecidos mais quentes. Já os forros de algodão são mais macios e trazem maior aderência para os lençóis — diferentemente dos acetinados, que deixam a superfície mais escorregadia.

Como conservá-lo melhor?

Agora que você já sabe como escolher um colchão, que tal aprender como conservá-lo da melhor maneira? Confira as recomendações básicas que elencamos abaixo!

Mantenha o ambiente limpo e ventilado

É preciso evitar o acúmulo de poeira no ambiente e manter seu colchão o mais ventilado possível. Isso deixará o material livre de ácaros, que podem ser prejudiciais para as pessoas alérgicas.

Use capa de proteção

Usar uma capa pode ajudar a proteger a superfície do colchão, especialmente de líquidos e animais, como gatos, ou mesmo do contato com o suor. Capas de plástico, porém, devem ser evitadas.

É que esse material aumenta a temperatura e deixa sua noite desconfortável, ao impedir que o colchão “respire”.

Vire o colchão

Virar o colchão pode prolongar a vida do produto. Por isso, jamais deixe-o mais de três meses em uma mesma posição. Isso evita a formação de buracos ou marcas por conta do formato de nossos corpos.

Mesmo com todos os cuidados com a conservação, atente aos prazos de validade dos produtos. Os colchões com maior durabilidade são os de mola, podendo chegar a até 15 anos de uso sem perder a qualidade. Já os de espuma duram até oito anos, se forem bem cuidados.

E então, aprendeu como escolher um colchão? Por fim, lembre-se de que o produto é fundamental para a qualidade do seu sono e, consequentemente, de sua saúde. Portanto, pesquise os preços, os modelos, as densidades e as facilidades de entrega e conquiste mais conforto nas suas noites.

Gostou do post? Então, aproveite para conhecer as diversas opções de colchões no site da Americanflex!

Colchões AmericanflexPowered by Rock Convert

Sem Comentários

Responder