Dicas

Guia completo: como escolher os melhores colchões

  • 28 de junho de 2019
melhor colchão

Cometer erros ao comprar um colchão pode custar caro para o seu conforto e até para a sua saúde. Esse item tem tudo a ver com uma boa noite de sono e ainda ajuda a garantir bem-estar. Ao mesmo tempo, é normal ter dúvidas sobre o que fazer para escolher os melhores colchões.

As peças aparecem em vários tipos, com propostas e materiais diferentes. Conhecer as características de cada uma e como cada uma é útil é essencial para tomar boas decisões. Com o cuidado adequado, suas horas de descanso serão muito mais tranquilas.

Então, entre os que estão no mercado, qual deve ser a sua palavra final? A seguir, veja as qualidades que não podem ficar de fora!

Entenda a importância de escolher os melhores colchões

Dizer que é essencial ter atenção na compra da superfície onde vai descansar todas as noites não é o suficiente. Você precisa saber quais são os impactos dos melhores colchões na sua vida — e, consequentemente, os riscos que peças inadequadas podem trazer.

A seguir, você pode conferir qual é a relevância dessa escolha e quais são os impactos gerados por ela. Continue a leitura e convença-se dessa decisão!

Melhora a qualidade do sono

Dormir bem é uma “tarefa” que, normalmente, exige algumas condições. O quarto precisa estar tranquilo, na temperatura certa e até com as condições ideais de iluminação. Também é recomendado evitar alguns alimentos e atividades antes de deitar, como mexer no celular. Contudo, sabia que nem isso pode ser o suficiente? Se o colchão não for adequado, é difícil achar uma posição agradável.

Já com os melhores colchões, você se posiciona da forma certa na hora de dormir. É algo que garante uma sensação maior de aconchego e conforto, permitindo que o corpo relaxe com mais facilidade.

Isso ajuda a manter o sono e até a vencer alguns quadros, como insônia, paralisia do sono e mesmo pesadelos. Como 73 milhões de brasileiros têm dificuldades para dormir, há grandes chances de você se beneficiar por uma boa escolha.

Evita e diminui dores e inflamações

A qualidade do sono também aumenta, entre outros fatores, pela redução de incômodos pelo corpo. Explica-se: quem tem problemas na coluna ou nas articulações, normalmente, sente muitas dores ao deitar em uma superfície inadequada. Com a escolha ideal do colchão para a coluna, é possível relaxar e ficar longe das dores. Isso estimula o descanso e o momento de acordar.

Também há peças que ajudam a evitar inchaço ou formigamento. Com espumas que se moldam ao corpo ou molas que distribuem o peso, a circulação é favorecida, e as dores são menores.

Para melhorar, tecidos especiais, como os feitos com fibras de carbono, ajuda a absorver a estática do organismo. Ao retirar essa ionização, as inflamações se tornam menos frequentes e intensas, o que elimina as dores.

Aumenta o nível de energia ao acordar

Dormir bem é essencial para todos os sistemas. É por meio desse hábito de deitar, fechar os olhos e entrar no modo “descanso” que o corpo consegue se recuperar de todo o esforço que fez no dia.

Nesse momento, muitas células se repõem ou se reparam, assim como diversas substâncias são liberadas pelo cérebro. Ao dormir com qualidade, você acorda com disposição para encarar a rotina.

Já que os melhores colchões ajudam a ter boas noites de sono, eles também são indispensáveis para o seu dia seguinte. Ao dormir na alternativa ideal, levantará disposto e vai ter mais capacidade de concentração e de produtividade.

Ajuda a prevenir diversas doenças

Além de tudo, você sabia que essa decisão é essencial para evitar diversas doenças? No caso dos alérgicos, a escolha da peça certa evita o acúmulo de ácaros e microrganismos, o que garante boa proteção contra crises.

Outras doenças e quadros de saúde também são trabalhados com a ajuda de um bom colchão. A privação de sono é uma das possíveis causas da obesidade, de acordo com a Universidade Estadual da Pensilvânia. Então, dormir nos melhores colchões auxilia a garantir as horas certas de descanso e diminui as probabilidades desse quadro.

Já os distúrbios do sono aumentam o risco cardiovascular e podem até ampliar as chances de doença de Alzheimer, segundo o Hospital do Coração. Como há muitos casos ligados à qualidade do sono, uma boa compra serve para proteger a sua saúde!

Conheça os tipos de colchões

Antes de pensar em outras características, é essencial conhecer quais são os modelos disponíveis. Os colchões variam com o tipo de fabricação, então é importante prestar atenção aos modelos na hora da compra.

Tudo depende das suas preferências e necessidades, como o apoio para a coluna ou o gosto por algo macio. Para não ter dúvidas, veja quais são os vendidos e entenda as características de cada um.

Espuma

O modelo de espuma é uma das versões mais tradicionais e aparece em vários tipos. Há colchão de espuma de solteiro, de casal, queen, king e até para crianças, como os que são colocados no berço.

O preço dele tende a ser menor, mas é preciso ficar atento ao uso e ao conforto. A rigidez, por exemplo, varia desde opções robustas até alternativas macias. Lembre-se, entretanto, de escolher o colchão com a densidade adequada ao seu biotipo.

Também há diversos materiais para a composição desse tipo. Entre eles, estão:

  • viscoelástica: conhecida como espuma da NASA, tem memória de forma e retorna ao seu estado original após ser deformada. Então, adapta-se ao formato do corpo e evita a compressão ou a interrupção da circulação;
  • hiper AMX: essa tecnologia proporciona maior conforto que as demais, por ter uma maior resiliência.  Após pressionada, ela volta ao seu estado original com maior rapidez e fluidez.
  • espuma gel: nessa tecnologia, a circulação é favorecida, pois ela é sensível à temperatura do corpo e se molda às formas. Também permite que a pele respire, o que é ótimo para os dias quentes.
  • látex: trata-se de uma opção que garante bastante adaptação às formas, Por causa de sua composição, cria um ambiente perfeito para combater ácaros e fungos, o que o torna ideal para os alérgicos.

Molas

Já o colchão de molas é caracterizado por ter esses elementos metálicos em sua estrutura. Elas ajudam a absorver o peso do corpo e a distribuí-lo da melhor maneira.

As tecnologias envolvidas nas peças de aço variam; por isso, o colchão de molas tem alguns modelos de molejo. Quer conhecer quais são? Veja:

  • molas ensacadas: nessa configuração, cada mola tem uma atuação individual. Ou seja, acionar uma não significa mexer com as outras, o que mantém o movimento “localizado”. Para quem tem o sono leve, é a opção para não acordar quando o parceiro ao lado se movimenta, pois só flexiona as molas necessárias para a sustentação do corpo;
  • tripower: as molas desse tipo são colocadas de maneira entrelaçadas, uma mola presa à outra, formando o molejo. É uma alternativa mais em conta, sem deixar de estar entre os melhores colchões e oferecer sustentação e resistência.

Veja 10 dicas essenciais para escolher os melhores colchões

Conhecer os tipos disponíveis para a compra é importante. No entanto, também é fundamental analisar outros pontos para escolher os melhores colchões. Eles devem atender a certas características de uso e de segurança, pois isso faz toda a diferença para quem coloca a cabeça sobre o travesseiro.

Como são muitas as alternativas do mercado, o ideal é saber como chegar à opção que cumpre as suas necessidades. Para não ter dúvidas, confira 10 dicas infalíveis!

1. Opte pelo tamanho correto

Independentemente do tipo, o colchão tem que se encaixar perfeitamente em sua cama. Se houver uma “folga”, ele vai correr durante o sono. Já se ele for maior que a estrutura, ele se deforma com o uso, e o sono fica prejudicado.

Então, avalie corretamente o tamanho da sua cama. Uma box king exige um colchão do mesmo tamanho, pois qualquer coisa abaixo disso vai ficar pequena. Já uma queen não comporta um maior.

Para não ter dúvidas, meça a sua estrutura atual e compare-a com os valores apresentados para a compra. Assim, você tem a certeza de selecionar os melhores colchões para reduzir a sua escolha.

Também é importante ficar atento se o tamanho escolhido cabe em seu quarto.

2. Fique de olho na densidade

Para os colchões de espuma existe uma característica que deve ser considerada: a densidade. Ela corresponde ao peso que é suportado de modo a não deformar a espuma.

Esse valor é calculado de acordo com o peso e com a altura de quem vai dormir sobre a peça. Já para o de molas, é imprescindível verificar se o tipo de molejo escolhido suporta o seu peso.

Para um casal, o correto é considerar a pessoa de maior peso, de modo a obter a densidade adequada para ambos. Assim, você tem a certeza de que o produto vai resistir corretamente durante o uso.

3. Confira o tecido utilizado

Para escolher os melhores colchões, também é importante ficar de olho no material que compõe o item. O tecido é um dos fatores mais relevantes, então merece a sua dedicação especial.

Fique atento à composição e veja se ele é feito com poliéster, viscose e outros componentes do tipo. É interessante que a “fórmula” têxtil garanta conforto, mas que também dê resistência ao estofamento.

Além disso, é importante ver se o colchão é do tipo dupla face ou Double Face. Nesse caso, o colchão pode ser utilizado dos dois lados.

4. Avalie o conforto oferecido

Em seguida, é preciso entender quão agradável é a composição do colchão. Afinal, você precisa se sentir bem ao deitar para ter uma noite de sono tranquila e que garanta os melhores efeitos.

Na opção de molas, veja como é o molejo. Há possibilidades que, inclusive, absorvem outros movimentos e evitam que pessoas de sono levem acordem quando a outra se mexe, por exemplo. Ainda para os colchões de molas, eles tem a classificação de tipos de conforto que variam entre macio, intermediário ou firme.

Já quanto ao de espuma, há materiais que são muito sensíveis à temperatura corporal e que se “moldam” às formas de quem deita. Com isso, o resultado é um colchão que “abraça” o corpo e garante mais conforto.

Não se esqueça de analisar o controle de temperatura do tecido e até o suporte à coluna. A intenção é conseguir noites de sono tranquilas e com uma sensação única.

5. Analise a vida útil

Em média, um colchão tem a duração de 5 anos. Após esse período, a troca é necessária para garantir a estrutura adequada e todas as propriedades exigidas para uma boa noite de sono. No entanto, é possível deixá-lo quase como novo dentro dessa faixa de tempo — desde que a escolha certa seja feita.

Um colchão com face dupla, por exemplo, pode ser usado dos dois lados, o que ajuda a “distribuir” os impactos conforme ocorre o uso. Já um feito com espuma capaz de segurar a forma original não vai sofrer tantas deformações ao longo do tempo e se mantém como nos primeiros meses.

A dica, nesse caso, é avaliar as condições de durabilidade e o que promete deixar a peça ainda mais resistente.

6. Entenda a tecnologia utilizada

O uso da tecnologia para o sono é bastante versátil. Há diversas possibilidades, como o monitoramento do sono e a automação residencial. Além disso, há muitas variações quanto à fabricação dos melhores colchões.

Há tecidos tecnológicos, como os que se inserem em roupas esportivas e os que ajudam a aliviar a tensão muscular. Já a chamada espuma gel é essencial para favorecer a circulação. Assim, você não acorda com partes dormentes do corpo e tem uma experiência melhor.

Ao entender qual é a solução apresentada em cada peça, dá para fazer uma compra consistente com as suas preferências!

7. Veja qual é a garantia

Também é fundamental conferir qual é a garantia oferecida pela marca do colchão. Apesar de a duração ser de 5 anos, podem acontecer problemas que diminuem a vida útil. Nesse caso, o melhor é ter o apoio da fabricante.

Normalmente, o período é de 90 dias para o tecido e de 12 meses para o molejo e o estofamento. Essa condição é importante porque cobre qualquer defeito de fabricação. No entanto, note quais são as condições previstas, porque problemas causados pelo uso incorreto encerram a garantia.

8. Pense na facilidade de compra

Para não ter dificuldades na hora de fazer a aquisição, é muito importante ter praticidade ao comprar. Afinal, o cotidiano é cada vez mais corrido e nem sempre há tempo disponível para ir a uma loja e ouvir as dezenas de explicações dos vendedores.

Além disso, em um local que facilite o pedido e uma possível troca, não é preciso nem mesmo experimentar. Afinal, você terá todas as informações necessárias e, baseando-se em suas preferências, consegue escolher.

Nesse caso, o melhor é optar por uma alternativa online. Com a facilidade de comprar pela internet, você pode escolher quando fazer o pedido e recebe tudo em casa, sem nenhuma dificuldade.

9. Conheça a reputação da fabricante

Para não se arrepender, porém, é fundamental conhecer muito bem a empresa responsável. Afinal, somente empreendimentos de qualidade são capazes de fabricar os melhores colchões para a sua casa.

Veja há quanto tempo a marca atua no ramo e como são as linhas que oferece. Dar preferência a uma empresa experiente e com uma grande quantidade de produtos que atendem às suas exigências é a melhor pedida.

Não se esqueça de ver o que outros compradores dizem sobre o empreendimento. Se a maioria dos clientes estiver satisfeita, o sinal fica verde para que você faça a sua compra.

10. Não foque apenas o preço

Como visto, o colchão é um dos fatores essenciais para ter qualidade de sono e até de vida. Então, é preciso fazer uma aquisição de uma peça que realmente reúna as características necessárias. Comprar somente pelo preço, nesse caso, não é a saída recomendada.

Em vez de escolher o mais barato, busque o que tiver o melhor custo-benefício. Avalie garantia, qualidades e tecnologias envolvidas. Assim, você adquire o item mais vantajoso e aproveita do jeito certo.

Como a durabilidade média é de 5 anos, pense nessa compra como um investimento. Ao acertar no pedido, só será preciso gastar de novo após meia década. Isso diminui o impacto financeiro e demonstra a importância da boa escolha.

Saiba como funcionam as certificações para os melhores colchões

Já que têm tanto efeito na vida das pessoas, os melhores colchões devem passar por certificações de qualidade. Elas atestam que o produto atende a padrões mínimos e apontam a segurança em adquirir o item.

Ao escolher uma opção certificada, você tem muito mais segurança e a certeza de que suas expectativas serão atendidas. Para não ter dúvidas sobre isso, veja quais são as certificações que os melhores colchões devem apresentar!

A principal certificação de qualidade em um colchão é a promovida pelo Instituto Nacional de Estudos do Repouso (INER), que realizar rigorosos testes periodicamente para ceder o selo de qualidade ao fabricante. Atualmente no Brasil existem mais de 400 fabricantes de colchão, porém apenas 5 possuem este selo. O INER certifica a qualidade do colchão de espuma e do colchão de molas.

Espuma

Assim como as outras, a certificação de espuma é prevista pelo Instituto Nacional de Metrologia (INMETRO). Dada pela Portaria nº 79/2011, estabelece as condições específicas de fabricação ou importação.

Basicamente, os requisitos são definidos pelas normas técnicas NBR 13579-1 e NBR 13579-2. As regras tratam do bloco de espuma e do revestimento, respectivamente. O objetivo é garantir que as peças sejam seguras, evitem alergias respiratórias e assegurem conforto e durabilidade.

Também é um jeito de regulamentar a atuação das fabricantes e garantir a certificação. Assim, você tem a certeza de que a espuma adquirida é vendida da maneira adequada.

Box

A certificação prevista para o colchão de espuma valia apenas para as peças tradicionais, como colchonetes, colchões infantis e os “avulsos”. O box conjugado ficava de fora e não tinha nenhuma regulamentação.

Portaria nº 349/2015 veio para corrigir isso. Por meio dela, o conjunto de base box e colchão deve ser tratado pelas mesmas regras do item de espuma.

Com a resolução, é proibido usar certas nomenclaturas, como chamar de “látex” uma espuma que não seja, pelo menos, 70% composta desse material. Também há regras de etiquetagem, de uso de produtos de revestimento e assim por diante. Tudo isso deve ser observado para que o produto seja considerado certificado.

Molas

Já a certificação para os melhores colchões de mola se tornou compulsória há menos tempo que a de espuma. A determinação foi criada pela Portaria nº 52/2016 do INMETRO e passou a valer em 2019.

A certificação inclui produtos com uma ou duas faces, além de versões auxiliares e, é claro, os conjugados.

As normas que apresentam as características exigidas são a NBR 15413-1:2013 e a NBR 15413-2:2011. Elas definem os requisitos de fabricação e o revestimento, além de ser preciso especificar corretamente as molas.

Quando um colchão apresenta essa etiqueta, significa que a empresa foi acompanhada em todo o processo de fabricação e oferece total segurança, por respeitar as regras técnicas.

Como essas etiquetas aumentam a segurança de compra, elas devem ser procuradas. A Americanflex sempre se preocupou com essas qualificações e, inclusive, tornou-se pioneira na obtenção desses selos. Com uma compra, você tem a certeza de adquirir itens devidamente atestados e que respeitam todas as determinações e regulações.

Escolher entre os melhores colchões é essencial para dormir e, principalmente, viver bem. Com o produto ideal, você terá mais conforto e qualidade de vida e de descanso. Assim, é possível evitar doenças, diminuir os impactos dos distúrbios do sono e ter uma vida completa.

Para não ficar na dúvida sobre a qualidade ou eficiência dos produtos que deseja adquirir, entre em contato com a Americanflex e conheça as nossas ofertas!

Colchões AmericanflexPowered by Rock Convert

Sem Comentários

Responder