Dicas

Está na hora certa de fazer a troca de colchão? Venha descobrir!

  • 30 de agosto de 2019
fazer troca do colchão

Quando foi a última vez em que você fez a troca de colchão? Se não lembra ou não sabe responder, é provável que já tenha passado da hora de realizar uma nova compra. Afinal, esse é um dos componentes mais importantes para conseguir noites de sono tranquilas e agradáveis.

Ao mesmo tempo, a substituição tem que seguir alguns critérios para que ofereça bons resultados. Ao saber o que considerar e o que realmente faz a diferença no cotidiano noturno, é possível tomar a melhor decisão. Com um bom investimento, você terá bem-estar e qualidade de vida. Mas, afinal, como saber se é a hora de realizar a substituição? Confira este guia completo e tenha a resposta que precisa!

Promoção desconto 10%

Qual a importância da troca de colchão?

Talvez você esteja se perguntando por que essa deveria ser uma preocupação no seu cotidiano. Afinal, com tantos outros pontos para observar em casa, por que pensar nessa troca?

O motivo é simples: é algo que afeta a sua saúde e a qualidade de vida. Com um colchão ruim e que precisa ser substituído, terá que lidar com várias dificuldades. É melhor evitar, não é mesmo? Para se convencer de vez, entenda por que é relevante trocar de colchão e conheça quais são os impactos no seu cotidiano.

Melhora a qualidade de sono

Depois que fizer a compra, você notará que a sua qualidade do sono vai mudar. Em um novo colchão, dá para aproveitar todos os benefícios da fabricação correta, como a distribuição do peso corporal do jeito certo. Essa aquisição é uma grande aliada para evitar aquela sensação de virar de um lado para o outro em busca de uma “posição para dormir”.

Além disso, é algo que vai ajudá-lo a manter o sono por mais tempo e a acordar com disposição no dia seguinte. Com noites de sonos melhores, é possível ter dias produtivos, elevar o humor e garantir uma sensação de bem-estar em seu cotidiano.

Reduz dores no corpo

Parte dos efeitos positivos da troca de colchão tem a ver com o tratamento adequado dado ao seu organismo. Com o item novinho em folha, é fácil evitar as dores no corpo ao acordar, já que a coluna fica alinhada. Com a estrutura necessária, você não vai acordar com dores nas costas ou nas extremidades.

Além disso, a nova aquisição favorece a circulação. Como seu organismo será acomodado corretamente, nenhuma área vai ficar sem fluxo de sangue. Isso é ótimo para impedir a sensação de dormência e outros incômodos. Quem tiver algum caso crônico, como fibromialgia, artrite ou problemas de coluna, é ainda mais beneficiado. É um excelente jeito de evitar crises e dores agudas.

Proporciona relaxamento

Não é apenas a parte física que é beneficiada com a troca de colchão. A mente também ganha com essa decisão, pois fica fácil relaxar. Afinal, ter conforto é uma forma de aliviar o estresse.

A sensação de estar em um colchão novinho em folha gera boas sensações e ajuda a sua mente a se livrar das preocupações. Para o momento de dormir, é essencial e garante uma experiência melhor. Graças a essa redução do estresse, é possível se sentir melhor no cotidiano, além de evitar impactos ligados à depressão e ansiedade.

Permite aproveitar novas tecnologias

A tecnologia se desenvolve cada vez mais rápido. Basta pensar que um smartphone atual tem recursos mais potentes que um de 5 anos atrás. Com os colchões, não é tão diferente assim: é provável que, na última vez em que comprou, a tecnologia envolvida era distinta ou menos desenvolvida.

Com a troca, por outro lado, você tem a chance de explorar o que há de mais moderno em termos de fabricação, materiais e benefícios. A partir dessa atualização, é possível aproveitar várias outras vantagens e garantir que a sua compra seja a ideal!

Quais as consequências de não trocar o colchão?

Se, por um lado, fazer a troca tem muitos pontos positivos, deixar o tempo passar com o mesmo colchão só vai causar prejuízos. Afinal, esse é o principal responsável pela sua noite de sono. Quanto mais você adiar uma mudança necessária, piores serão os impactos. Então, é melhor conhecê-los para evitá-los, certo? A seguir, veja quais são os riscos que surgem ao não recorrer à troca de colchão no momento correto.

Infestação de microrganismos

Parece nojento, mas o seu colchão se torna, a cada dia, um depósito de matéria orgânica. Saliva, suor e células mortas são os principais “ingredientes” — e funcionam como alimento para vários micro-organismos. Segundo a Universidade do Estado de Chicago, o total deles pode chegar a 10 milhões.

O resultado é que um colchão velho aumenta os riscos de infestação de ácaros e até de percevejos. Para piorar, há um aumento na proliferação de bactérias. Tudo isso pode causar desde incômodos a doenças e infecções. Nesses casos, o melhor é fazer a substituição.

Problemas de saúde

Não pense que os ácaros são os únicos vilões da sua saúde. Não trocar o colchão afeta o seu corpo de outros modos, o que justifica a necessidade de pensar em uma nova aquisição. Para ter uma ideia, há diversas pesquisas sobre a qualidade do sono e o funcionamento do corpo. A falta de sono adequado aumenta os riscos:

Sem a troca, portanto, há mais riscos para a saúde, para o bem-estar e para a sua qualidade de vida de modo geral. Ao ficar atento a essa questão, por outro lado, é possível reduzir os riscos.

Desalinhamento da coluna

Comprar um colchão no momento certo também é essencial para evitar um problema frequente: o desalinhamento da coluna. Ao não fazer a substituição no período propício, você submete o organismo a condições inadequadas e ao posicionamento incorreto.

Como consequência, a coluna não recebe a sustentação necessária e pode sofrer lesões e distorções ao longo do tempo. Ao associar esse quadro a outros problemas, como degenerações ou doenças crônicas, o resultado é ainda pior.

O fato é que demorar para executar a troca do colchão faz com que a sua coluna fique desalinhada e seja comprimida nos lugares errados. Isso pode favorecer o aparecimento de hérnias e do chamado “bico de papagaio”, além de acelerar degenerações diversas.

Quais os sinais de que chegou a hora de trocar o colchão?

Para não encarar esses e outros problemas, é indispensável reconhecer quando é o momento de realizar a substituição. Ao identificar os sinais corretamente, você não corre o risco de ficar mais tempo que o necessário com o item.

Ao mesmo tempo, já comentamos como a vida útil não é o único aspecto a ser considerado. Então, veja quais são os outros pontos para avaliar e ter a certeza de que é o período de realizar a substituição.

Desconforto ao deitar

Um dos sinais claros de que é preciso fazer a mudança é não se sentir confortável ao deitar. Se você vira de um lado para o outro e sente incômodo, é provável que ele não esteja adequado. Afinal, um bom colchão permite que seu corpo se adapte e conquiste a melhor sensação para o descanso.

Se sentir dores ou acordar no meio da noite em busca de uma posição diferente, é o momento de fazer uma nova compra. Inclusive, pode ser o caso de buscar um estilo distinto para se adequar melhor ao seu corpo e às suas necessidades.

Formato diferente

Um produto de qualidade é aquele que consegue se adaptar ao seu organismo e voltar ao normal. Não importa se o produto é de espuma ou de mola. O que interessa é que ele seja capaz de retornar à sua forma original.

Por outro lado, qualquer coisa diferente já é um sinal de alerta para a troca de colchão. Se ele estiver “afundado”, é sinal que já não oferece a estabilidade exigida. Também significa que o material cedeu ou já não mantém as características adequadas, o que demanda a mudança.

Não se deixe enganar: um colchão que tem a forma do seu corpo não é perfeito para você. Pelo contrário: mais que nunca, é necessário fazer a substituição para não sofrer com os efeitos negativos.

Manchas no tecido

Outro problema que merece a sua atenção é a aparência do tecido. Naturalmente, se alguma área estiver rasgada, é preciso considerar a troca, já que isso impacta a estrutura e a qualidade. Mas, a questão principal é a presença de manchas.

Se houver uma mancha ou mesmo o aparecimento de pontos escuros, pode ser que fungos e bactérias estejam presentes na região. As manchas escuras, normalmente, significam a existência de mofo. Então, é essencial fazer a troca até por uma questão de saúde e de qualidade de vida.

Problemas respiratórios frequentes

Além disso, fique de olho em como anda a sua saúde. Se você tem tido problemas respiratórios recorrentes, é um sinal de que pode estar na hora de adquirir um novo colchão. Com o uso e o acúmulo de microrganismos, é comum ter alergias respiratórias, bem como casos de asma ou bronquite, para quem sofre com os problemas.

A possível presença de mofo também não ajuda, o que significa que é essencial tomar cuidado com esse aspecto. Somente a nova compra vai ser capaz de ajudar a manter a segurança e o bem-estar, então encare isso como uma questão de proteção e de qualidade de vida.

Quais os tipos de colchão disponíveis no mercado?

Depois de entender a necessidade de realizar a troca de colchão, é preciso pensar nos tipos disponíveis no mercado. O modelo certo varia conforme as suas exigências. Portanto, considere as demandas em cada caso para tomar a melhor decisão.

Graças à importância desse componente, há diversas ofertas que podem ser aproveitadas. O ideal é conhecer os tipos para fazer uma escolha. A seguir, confira quais são os tipos mais famosos do mercado e entenda o que eles oferecem.

Espuma

Um colchão de espuma é feito com esse material maleável e capaz de se adaptar ao corpo. Normalmente, a espuma é flexível o bastante para se moldar e retornar à sua posição original após o uso. Alguns modelos possuem uma camada a mais de conforto, conhecida como Pillow Top, que pode ser feito utilizando diversos tipos de espuma, cada uma com uma finalidade, por isso vale ficar atento a qual tem a característica que mais lhe agrada.

Além disso, o de espuma precisa ser avaliado segundo a densidade. Essa medida influencia na resistência e capacidade de suportar o peso. Dependendo do peso e da altura de seus ocupantes, é necessário escolher versões específicas.

Molas

Já o colchão de molas é feito com esses itens metálicos, que compõem a estrutura do produto e garantem uma boa usabilidade. Há diversos modelos disponíveis no mercado, como o de molas ensacadas individualmente. Sua principal característica é evitar a “propagação” do movimento: quando uma pessoa se mexe, a outra não é impactada.

Além disso, há outros sistemas de molejo e tipos de mola. A TriPower, por exemplo, formada por molas entrelaçadas, é bastante resistente e confortável.

Tecnológico

Também é possível recorrer a colchões que utilizam tecnologias extras para gerar melhores resultados. Eles são de espuma ou mola, mas oferecem algo a mais para que seja viável ter uma performance diferenciada.

É o caso, por exemplo, do modelo com viscose de bambu. Esse tecido ajuda a controlar a temperatura, tem ação contra bactérias e garante máximo conforto. Ainda há opções que usam a espuma Hiper AMX, que apresenta alta durabilidade e uma resposta excelente em contato com o corpo.

Para completar, há a espuma de gel, capaz de melhorar o funcionamento do corpo, evitar dores e proporcionar uma sensação de frescor. Que tal aproveitar alternativas como essas?

Como escolher o melhor colchão para substituir o antigo?

Não basta saber que é o momento de fazer a troca de colchão. Também é importante entender como realizá-la de maneira adequada para que atenda às suas expectativas. Nesse sentido, é preciso avaliar algumas características do produto para tomar a melhor decisão. Como esse é um investimento relevante, o ideal é conhecer as qualidades. Por isso, veja como escolher colchão a seguir.

Selecione o tipo adequado para cada necessidade

A parte mais importante dessa decisão inclui cruzar as especificações do produto com as suas demandas. Sabe o que isso significa? Que é necessário considerar as suas exigências e características em vez de apenas “copiar” o que funciona para outras pessoas.

Pense se é melhor adquirir um de mola ou um de espuma de acordo com as suas preferências. Também é preciso escolher o tamanho adequado para a sua cama, além de pensar se você pretende usar com conjunto box, por exemplo.

Considere também outras questões. O colchão para criança tem algumas demandas. O de espuma é melhor pela fase em desenvolvimento, bem como para o uso no berço. Já quem tiver problemas de coluna, deve considerar o colchão adequado ao seu biotipo. Avalie tudo isso para definir qual será o modelo selecionado, o material ideal e o que é mais importante no momento da compra.

Opte por uma fabricante reconhecida

Para realizar a troca de colchão do jeito certo, é indispensável escolher um item de qualidade. Um dos meios de fazer isso é ao recorrer a uma fabricante de destaque e reconhecimento no mercado. Opte por uma marca com tradição e experiência. Assim, você tem maior segurança para fazer uma aquisição longe de problemas ou dificuldades no futuro.

Além disso, é preciso olhar para o processo de fabricação. A empresa deve respeitar as normas específicas para a produção de colchões e ter os certificados de fabricação. Com essas qualidades, dá para ter certeza sobre a segurança e a eficiência da compra.

Não tenha o preço como fator mais importante

A troca de colchão é um investimento relevante e merece toda a sua atenção. Lembre-se de que é algo que tem a ver com a sua saúde e com o bem-estar, então não dá para escolher qualquer modelo.

Quando for fazer a compra, portanto, não foque apenas no preço. Comprar o modelo mais barato é sinônimo de insatisfação, baixa durabilidade e dinheiro jogado fora. Em vez disso, busque a alternativa com melhor custo-benefício. Assim, você obtém o máximo de qualidade e consegue atender às necessidades dessa compra.

O que considerar na hora da escolha?

O momento da compra exige a avaliação de outros pontos que vão além das características físicas do produto para que seja bem-sucedida. Ao saber exatamente o que analisar antes da compra, as chances de acertar na escolha se multiplicam. Veja o que considerar nesse momento.

Necessidades de quem dorme

É indispensável que a troca de colchão considere as preferências específicas de quem dorme sobre ele. A avaliação de peso e altura influencia na escolha da densidade, assim como alguma exigência da coluna.

Experiência do sono

Ainda é fundamental que o produto seja capaz de oferecer noites de sono tranquilas e agradáveis. Isso tem a ver com a experiência do sono e passa por algumas definições pessoais.

Quem dorme com alguém que se mexe muito (ou quem vira a noite inteira) deve recorrer a um sistema de molejo que diminua os movimentos. Enquanto isso, quem preferir uma opção bem macia e leve deve escolher um colchão com essa característica. Então, é essencial considerar tais preferências.

Segurança e praticidade na compra

Não dá para se esquecer do processo de compra e de como ele deve ser eficiente. Para não ter dificuldades nessa etapa, é indispensável conferir se a aquisição pode ser feita de maneira prática e segura.

A compra on-line, por exemplo, deve ser realizada em um ambiente protegido e com uma empresa de confiança. Também é o momento de analisar as condições de pagamento e de entrega, pois influenciam na satisfação. Desse modo, é fácil tomar a melhor decisão.

Quais cuidados tomar com o colchão para que ele dure mais?

Quando usado adequadamente, a vida útil do colchão é prolongada, sem os cuidados corretos, entretanto, o período pode ser abreviado. O resultado? A necessidade de fazer uma nova troca de colchão de maneira antecipada. Para que isso não aconteça, o ideal é ter alguns cuidados específicos. Para não ter dúvidas, descubra como agir para que dure mais.

Evite a exposição ao calor

A alta temperatura é uma vilã para a estrutura do colchão. Deixá-lo ao sol ou usar um secador de cabelos sobre ele pode deformar a espuma ou até modificar a estrutura de molas. Se você quiser que ele dure um tempo maior, é essencial evitar essa exposição direta e intensa.

Faça um rodízio

Para distribuir o “desgaste” entre as áreas, é válido fazer um rodízio horizontal com a peça. De tempos em tempos, gire o colchão para inverter os lados. Assim, o uso é feito por igual e dá para impedir que certas áreas fiquem deformadas.

Tenha cuidado ao sentar

Por melhor que seja, qualquer modelo foi planejado apenas para a posição deitada. Ao sentar, você aumenta o esforço sobre determinada área e pode causar deformações. Além de não ficar sentado por longos períodos, evite fazê-lo nas bordas para não antecipar a troca de colchão.

Fique de olho na limpeza

Por mais que seja importante manter o item limpo, você não deve lavá-lo, sob o risco de comprometer todo o material. Evite derramar líquidos na superfície, tente não comer na cama e adote apenas um aspirador de pó. O uso de um protetor também é bem-vindo. Assim, é possível manter a higiene sem afetar o desempenho.

A troca de colchão tem que ser realizada no momento ideal para que a sua saúde não seja prejudicada. Com essas dicas, você tem a chance de conquistar ótimas noites de sono e todo o conforto que merece!

Não quer ter dúvidas? Faça o nosso teste e descubra se é a hora de partir para uma nova compra!

Colchões Americanflex

Sem Comentários

Responder