Relaxamento

Descubra o que são sonhos e qual sua relação com a qualidade do sono

  • 30 de agosto de 2018
o que são sonhos

Os seres humanos passam, em média, 30 anos de suas vidas dormindo. Isso significa que 1/3 da vida é passada sobre um colchão e, normalmente, sonhando. Os sonhos não são lembrados todos os dias após o despertar, mas alguns especialistas afirmam que mesmo quem não se lembra das imagens e das situações vividas na mente durante a noite passou por essa fase durante o sono.

Sonhar pode ser uma experiência incrível, visto que nesse momento é possível usar a imaginação e vivenciar situações que no mundo real não existiriam. Além disso, pode-se resolver problemas e até estar com pessoas queridas que já partiram. No entanto, episódios tristes e angustiantes também podem acontecer enquanto o corpo descansa, os chamados pesadelos.

Esse é um dos maiores mistérios do organismo humano, visto que ainda não se sabe como os sonhos funcionam e qual é a sua verdadeira finalidade. Para te ajudar, tentamos responder algumas questões neste post. Saiba o que são sonhos, como eles acontecem, qual o papel do subconsciente nesse processo, se os sonhos têm significados e se é possível controlá-los, e como eles interferem na qualidade do sono. Boa leitura!

O que são sonhos?

Existem vários pontos de vista para explicar o que são os sonhos. Para a ciência, os sonhos são uma criação da mente, ou seja, as experiências vividas durante esse período são puramente ilusórias. Isso porque durante a fase do sono em que os sonhos ocorrem, várias áreas do cérebro estão alertas, assim como as funções de memória, criatividade, emoções, medos, angústias e outras sensações.

É possível vivenciar situações que já aconteceram no passado, assim como criar outras que não poderiam existir por meio da imaginação e do contato com o mundo externo. É o caso de uma pessoa que sonha que está voando, por exemplo, ou de uma criança que cria um mundo mágico inteiro em seus sonhos.

Neste contexto é interessante mencionar uma curiosidade: o cérebro não cria rostos. Desse modo, quando um estranho aparece no sonho, é possível saber que ele não foi inventado, mesmo que não seja possível se recordar das feições. Essa pessoa possivelmente é alguém que passou despercebido na rua, por exemplo.

As teorias fisiológicas afirmam que um indivíduo sonha para exercitar as conexões cerebrais criadas recentemente, assim como para ativar as que estão sem uso a algum tempo. Essa teoria acredita que durante o sono o cérebro está trabalhando arduamente para consolidar lembranças e aprendizados, além de formar conexões importantes.

Essas conexões podem se manifestar como situações estranhas para as pessoas nos sonhos, pois muitas vezes não é possível entender qual é a relação que une aquelas duas lembranças, mas o cérebro tenta conectá-las.

Por outro lado, as teorias psicológicas afirmam que o ato de sonhar ajuda a desvendar problemas e entender situações do cotidiano, mesmo que os sonhos pareçam sem sentido quando a pessoa acorda. Sendo assim, um sonho pode dramatizar e aumentar as preocupações vivenciadas, os interesses, os medos e os desejos.

No caso da sensação de medo, por exemplo, acredita-se que os sonhos possam ser uma forma de aliviar as tensões vivenciadas no dia a dia. Isso é possível ao sonhar com os temores, possivelmente em outro contexto, em que o indivíduo consegue superá-lo e, consequentemente, se torna mais propenso a superá-lo no mundo físico.

Além disso, acredita-se que vivenciar o medo e situações de ameaça pode preparar o corpo para vivências semelhantes quando acordado. Assim, uma pessoa que sente medo de falar em público pode fazer um ótimo discurso ou é possível fugir de um assalto durante os sonhos, por exemplo. Essas práticas formam conexões cerebrais que ajudam o corpo físico a se manter mais rápido e ativo para responder a determinadas situações.

Também existe um lado místico para explicar o que são sonhos. Há quem acredite que as situações e imagens que aparecem nos sonhos são sinais premonitórios. Isso significa que através deles é possível fazer vidências, ou seja, adivinhações, que significam “advir o que está por vir”. No entanto, a grande maioria dos sonhos parece não ter significados claros e simples, e, assim, utiliza-se a interpretação dos sonhos para extrair qual é a mensagem daquela vivência durante a noite.

O sonho com um acidente é um bom exemplo. Apesar de ser uma situação desagradável, segundo o significado dos sonhos escapar ileso simboliza que a pessoa conseguirá uma vitória ou vencerá desafios. Além disso, esse sonho também simboliza decepção ou problema com outro indivíduo, que pode estar envolvido no acidente sonhado.

É possível que cada pessoa extraia um aprendizado ou uma premonição diferente dos seus sonhos. Atualmente existem livros, dicionários e guias para desvendar o significado dos sonhos e descobrir qual mensagem o universo está enviando através deles.

Por fim, existe o lado espiritual para explicar o que são os sonhos. Segundo algumas religiões e crenças, enquanto o corpo dorme o espírito ou a alma podem desligar-se parcialmente do estado físico e vagar pelo plano espiritual, onde participa de atividades e vivências.

Dessa forma, quando o indivíduo está prestar a acordar, o seu componente espiritual retorna para o invólucro carnal trazendo todas as lembranças do que aprendeu, viveu e superou na outra dimensão da vida. Essas recordações dariam origem aos sonhos.

Essa seria uma boa explicação para os sonhos que incluem pessoas já falecidas. Isso porque, durante o sono, o espírito deixaria o corpo e se encontraria com os espíritos que já descarnaram. Durante esse encontro há conversas, aprendizados e descrição de vivências que são passadas de forma mútua.

Para contextualizar, é possível citar uma pessoa que acorda com a lembrança de ter passeado em uma praia que nunca esteve, por exemplo. Acredita-se que essa imagem seja, na verdade, uma paisagem vista por um outro espírito que realmente viu aquele local e compartilhou essa vivência. Isso acontece porque no plano espiritual não se comunica através da fala, mas sim passando imagens e sensações para a mente do outro.

Os sonhos muito absurdos e com situações irreais também podem ser explicados pela crença espiritual. Acredita-se que as distorções causam esse tipo de vivência, uma vez que é preciso atravessar uma grande diferença de tempo e espaço entre o plano físico e o espiritual. Assim, as imagens podem não ficar claras e as situações mostradas podem ser estranhas.

Sem dúvidas definir o que são sonhos é uma tarefa complexa e ainda não determinada. Eles provavelmente apresentam várias funções e significados. Sendo assim, é interessante saber mais sobre todas as teorias e encaixá-las nas próprias convicções, sem se limitar a escolher somente uma teoria.

Qual o papel do subconsciente?

A mente consciente é a racional, que se mantém ativa o tempo todo através de pensamentos, julgamentos (o que é certo e errado) e discernimento das vivências (seleciona o que é proveitoso e deve ser guardado do que não deve). Além disso, ela é responsável pelos atos de razão enquanto estamos acordados, como andar, e tem noção do tempo e espaço.

No entanto, apesar de estar sempre ligada, a mente racional não consegue captar os mais diversos detalhes o tempo todo. Afinal, para que ela funcione com maestria, precisa focar em determinados aspectos. Os mais diversos detalhes que passam despercebidos podem ficar armazenados no subconsciente da mente.

Ele funciona de forma completamente diferente da parte racional, visto que o subconsciente não pensa, não tem noção de certo ou errado, não se localiza em tempo e espaço e age com a emoção, e não com a razão. Assim, todas as informações apresentadas para ele como verdade serão retidas dessa forma, mesmo que não sejam.

Em crianças de até 6 anos somente o subconsciente está ativo. É por esse motivo que elas acreditam em Papai Noel, por exemplo. Apesar de nunca terem visto a figura, tomam como verdade algo que lhes foi apresentado como verdade. Assim, não se usa a razão, mas sim a emoção. Nessa idade também não é possível diferenciar o que é certo do que é errado.

Durante o dia a parte consciente da mente é usada o tempo todo. No entanto, durante os sonhos o nível consciente e subconsciente se misturam. Assim, pode-se sonhar com coisas absurdas e situações que racionalmente consideraríamos erradas ou impossíveis. Um bom exemplo é voar. De forma racional sabemos que isso é impossível, mas como o subconsciente age com emoção, se uma pessoa quiser voar em seu sonho ela conseguirá.

Além disso pode-se fazer ações que, racionalmente, a pessoa não realizaria por considerar erradas. Um indivíduo pode sonhar que traiu a confiança do parceiro e está com outra pessoa, estando satisfeito com a situação, por exemplo. No entanto, na vida real jamais teve essa vontade e pode até acordar se sentindo culpado ao lembrar do sonho, visto que a mente consciente entra em ação.

Desse modo, o papel do subconsciente no sonho é adicionar diversas possibilidades que seriam impossíveis no mundo real. Assim é possível deixar a lógica de lado e abusar da criatividade, realizar atividades que jamais teria coragem e enfrentar situações que o bom senso da mente consciente impede.

O interessante é que o componente da mente consciente que fica ligado impede que o corpo físico faça o mesmo que o virtual. Para isso, o cérebro desliga a medula espinhal durante o sono, deixando os movimentos do corpo paralisados. Sabe-se que, em algumas pessoas, esses mecanismos não funcionam corretamente. Assim, pessoas sonâmbulas podem realizar as mesmas ações que acontecem em seus sonhos com o corpo físico, o que pode ser muito perigoso.

Como acontecem os sonhos e qual é a relação com a qualidade do sono?

Enquanto uma pessoa dorme o corpo passa por diferentes fases do sono. Em cada uma são realizadas atividades essenciais para o organismo. Elas normalmente ocorrem em um ciclo que dura de 90 a 110 minutos e se reinicia cerca de quatro a cinco vezes por noite.

O Estágio número 1 é aquele em que os primeiros indícios do sono acontecem devido a produção de melatonina, hormônio que é responsável pela indução do sono. A sua ação pode ser bloqueada quando o corpo recebe estímulos luminosos, como a tela azul ou branca dos smartphones, tablets e aparelhos de TV. Assim, o corpo se prepara para noite de sono ao ficar menos tenso. Aqui, é possível que o indivíduo tenha a sensação de não saber se está dormindo ou não.

No Estágio número 2 a pessoa já se encontra dormindo, porém esse é um sono leve. Durante a fase o ritmo cardíaco cai, assim como os outros sinais vitais, os músculos se relaxam e a temperatura do corpo cai um pouco devido a sua inércia. Os Estágios 3 e 4 são responsáveis por um sono mais profundo, em que o corpo trabalha lentamente. Isso é perceptível através dos batimentos cardíacos, que estão ainda mais lentos, e pela respiração, que fica leve e suave. O Estágio número 4 dura cerca de 40 a 50 minutos e prepara o organismo para a fase de sono realmente profundo, o Estágio número 5.

A etapa seguinte também é chamada de sono REM, sigla que significa rápido movimento dos olhos, em inglês. Isso porque alguns cientistas observaram que, em determinados intervalos, as pessoas mexiam os olhos durante a noite, o que não acontecia de modo semelhante durante todo o período. Além disso, notou-se que durante o estágio em que os olhos se mexiam o aparelho de eletroencefalograma apontava uma oscilação de ondas cerebrais semelhante ao do estado desperto ou de vigília.

O sono REM ocupa de 20 a 25% do tempo em que uma pessoa dorme. Pode-se sonhar de 4 a 5 vezes durante a noite conforme a variação do ciclo. Na segunda parte da noite os sonhos sãos mais vívidos, intensos e prolongados. Somando todos os períodos, um ser humano sonha cerca de 6 anos em sua vida.

Alguns acreditam que, por ser um estado de sono profundo, é nessa fase em que o sono é mais reparador. No entanto, outros afirmam que como o cérebro está em intensa atividade, esse não é um estado de descanso. A última afirmação explicaria porque pessoas que sonham muito ou tem pesadelos com frequência sentem muito cansaço durante o dia. Afinal, há muita atividade mental e o corpo não descansaria.

Sonhos têm significado?

Desvendar o significado das vivências durante o sono é uma tarefa que muitos desejam. No entanto, ainda não se sabe se os sonhos são realmente premonições, lembranças misturas ou vivências espirituais. Se a pessoa deseja saber qual é o seu significado, pode procurar especialistas na área e conversar sobre o assunto.

No entanto, para descobrir o significado dos sonhos é preciso lembrar de cada acontecimento deles. Antes de ir para a cama mentalize que lembrará dos sonhos com os mínimos detalhes. Isso é importante para que a mente se prepare para essa função e a realize.

Quem acorda após o sono REM, em que acontecem os sonhos, tem maior probabilidade de se lembrar do sonho. Assim, pode-se programar um despertador para disparar a cada uma hora e meia. Como as fases do sono podem variar entre as pessoas, é interessante realizar experimentações com os horários e verificar qual é o mais indicado para acordar depois do sono REM.

Outra dica é manter um diário dos sonhos, em que o indivíduo anota as características e detalhes do sono. Esse passo é importante, pois é comum esquecer-se completamente dos sonhos após 15 minutos acordado. Tentar acordar de forma lenta, sem sustos, é o ideal para manter as sensações do último sonho.

Como controlar os sonhos?

O sonho lúcido é aquele que pode ser controlado inteiramente pela pessoa. Alguns indivíduos têm esse tipo de sonho normalmente, enquanto outros desejam conquistar esse poder. Controlar as imagens e atividades de um sonho pode ser uma tarefa difícil, mas que é possível.

A primeira dica é anotar tudo assim que acordar. Isso é importante porque acredita-se que nos primeiros 5 minutos após o sono esquecemos 50% do que sonhamos e, em 10 minutos, essa porcentagem aumenta para 90%. Esse passo é essencial para entender melhor como a dinâmica do sonho funciona e qual é o seu conteúdo.

Antes de ir para a cama deve-se mentalizar com convicção e várias vezes: “terei um sonho lúcido nesta noite”. Assim, a mente se prepara e firma a mensagem que a pessoa deve estar consciente durante os eventos do sonho. Enquanto a primeira fase do sono se manifesta também pode-se mentalizar com o que deseja sonhar de forma mais específica, como por exemplo: “quero estar em um parque de diversões”.

No entanto, os especialistas recomendam que caso a lucidez se manifeste, não deve-se tentar alterar o cenário ou mudar os participantes do sonho. Essa é uma tarefa mais complexa e que deve ser tentada somente quando o indivíduo consegue ter sonhos lúcidos sempre que quiser. Após, é ideal começar com atividade simples, como trocar a cor das paredes, adicionar um indivíduo ao sonho ou imaginar outros cenários.

A mente é algo extremamente complexo e muitas vezes não é possível distinguir se é um sonho ou não. A dica para saber se está num sonho é escolher um objeto onírico, ou seja, que a mente possa reconhecer e transmita a sensação de que aquilo é um sonho.

No filme “A Origem”, um dos grandes sucessos de Leonardo DiCaprio, os personagens combinam a tecnologia com substâncias químicas para induzir as pessoas a terem sonhos lúcidos. Lá é possível criar um universo particular e acessá-lo sempre que quiser voltar, além de construir o que desejar. O personagem de Leonardo usa um peão no filme como objeto onírico, pois sabe que enquanto ele estiver em seu bolso a sua vivência está ocorrendo em sonho. Nesse caso também é possível recorrer a ações mecânicas, como apertar o próprio braço. Afinal, nos sonhos não é possível sentir dor.

Isso é importante porque, para ter controle sobre os sonhos e realizar coisas impossíveis, é preciso saber que não se está no mundo real. O objeto onírico ajuda a pessoa nessa situação, assim como tentar recorda-se de como chegou a aquele local. Nos sonhos, as pessoas aparecem magicamente em algum lugar, sem haver necessariamente linearidade dos fatos. Assim, recorda-se como chegou ao local ou o que fez nos últimos minutos será uma tarefa impossível e mais uma evidência de se está sonhando.

Por fim, recomenda-se que quem sentir que está acordando e não deseja abandonar o sonho pode tentar girar o corpo. Essa sensação é comum quando a vivência fica confusa ou as cenas se tornam irreconhecíveis. Girar o corpo e mentalizar novamente que deseja continuar no sonho é uma forma de manter as cenas oníricas.

Os sonhos mais vívidos acontecem na segunda metade da noite. Sendo assim, é imprescindível que a pessoa que deseja controlar os sonhos durma bem e por mais de 6 horas, para que alguns ciclos sejam completados antes de despertar. Todos os passos citados acima precisam de bastante prática para que o sonho lúcido se torne realidade. No entanto, o esforço é muito válido, pois criar situações pode ser uma ótima forma de escapar da realidade e relaxar.

A finalidade dos sonhos ainda é um mistério. Porém, sabe-se que eles podem se tornar desagradáveis e se tornar verdadeiros pesadelos. Neles é comum a sensação de medo, angústia, desespero, dor e sofrimento, que pode ser vivenciada em situações que a pessoa teme ou já vivenciou de forma negativa.

Sabe-se que os sonhos desagradáveis são mais comuns em pessoas que se encontram abaladas emocionalmente, sob efeito de álcool e outras drogas, com o sono atrasado ou em situações de doença como a apneia do sono ou o Parkinson.

Para evitá-los é interessante pensar em coisas positivas antes de dormir, rever com um médico de confiança as medicações tomadas, ingerir alimentos mais leves e praticar atividades físicas regularmente. Por fim, se os pesadelos não cessarem, é recomendado procurar um médico de confiança para resolver o problema.

E então, ao se perguntar o que são sonhos, saiba que eles podem ter várias finalidades e causas interessantes. Se você gosta do assunto e quer saber como dormir melhor, assine a nossa newsletter e receba conteúdo exclusivo diretamente em seu e-mail!

Colchões AmericanflexPowered by Rock Convert

Sem Comentários

Responder