Dicas

Não sabe qual colchão comprar? Saiba o que deve ser considerado

  • 7 de setembro de 2019
qual colchão comprar

Estima-se que uma pessoa que durma cerca de 8 horas diárias tenha, ao fim da vida, gasto 24 anos de sono. Impressionante, não é mesmo? Isso significa que quase 1/3 da jornada na Terra é passada deitada em um colchão.

Além disso, é durante o sono que vários hormônios são regulados, assim como são produzidas substâncias importantes para o bom funcionamento corporal. Nesse período, o organismo relaxa e se recupera, guarda informações e repara possíveis erros em seus processos.

É por esse motivo que ter uma boa noite de sono e com a duração correta é imprescindível para ter qualidade de vida, bem-estar e saúde. Para tanto, é fundamental ter um colchão de qualidade e adequado às suas preferências e necessidades. Para ajudar, separamos algumas dicas para que você acerte na hora de escolher qual colchão comprar. Confira!

Verifique a densidade do colchão

A densidade é fundamental para escolher o colchão de espuma adequado e para aumentar a sua vida útil. Essa grandeza nada mais é que a quantidade de material usada por metro cúbico de colchão. Isso significa que um colchão de densidade D33, por exemplo, é feito com 33 quilos de material por metro cúbico.

Sendo assim, quanto maior o número, mais peso o colchão suporta. De forma geral, existem oito tipos de densidade para os colchões de espuma, sendo elas:

  • D18 e D20: para recém-nascidos e crianças de até 15 kg;
  • D23: para pessoas de até 50 kg;
  • D26: para pessoas que pesem de 51 a 60 kg;
  • D28: para pessoas de 51 a 60 kg que tenham até 1,5 m de altura; de 71 a 80 kg que meçam entre 1,61 m e 1,90 m de altura ou pessoas de 81 a 90 quilos com mais de 1,90 m de altura;
  • D33: para pessoas de 71 a 80 kg e altura entre 1,51 m e 1,70 m; de 81 a 90 kg entre 1,61 m e 1,70 m de altura ou pessoas de 91 a 100 kg com altura superior a 1,81 m;
  • D45: para pessoas que pesem de 100 a 150 kg.

Para os colchões de mola a regra é diferente, visto que leva-se em conta o peso do individuo (ou da pessoa com maior do casal). Dessa forma, para os colchões de mola do tipo:

  • Tripower (ou também conhecido como bonnel): indicado até 100kg;
  • Molas Ensacadas (ou também conhecidas como pocket): indicados até 140kg, dependendo do modelo do colchão;

No caso dos colchões de mola, há outra variável que deve ser levada em consideração: o nível de conforto. Isso porque existes modelos macios, intermediários ou firmes e a sua escolha depende da preferência de cada pessoa.

É preciso ter em mente que uma densidade maior do que a indicada para o peso não causa problemas, mas o inverso não deve ocorrer devido ao risco de lesão na musculatura e coluna. Além disso, usar um colchão com densidade menor diminui a sua vida útil. Por esse motivo, ao escolher um colchão para casal, leve em consideração o peso e a altura do integrante mais pesado e/ou mais alto.

Escolha o tamanho de acordo com o quarto e a altura dos ocupantes

Em quartos mais espaçosos, é possível escolher a cama e o colchão que mais agradar. Mas, o que fazer em espaços restritos? Verifique o espaço disponível para a cama e escolha o modelo adequado de colchão.

Para ambientes menores, a cama box é uma ótima opção, visto que ocupa menos espaço. Além disso, algumas contêm baú na parte inferior, ajudando na organização. Também é importante ficar de olho na altura do ocupante da cama. O colchão deve abrigá-lo esticado, ou seja, não pode ter pernas ou braços para fora.

As camas de solteiro têm um tamanho padrão, que é de 0,88 m x 1,88 m, mas também existe a medida de 0,78 m x 1,88 m. Existem, ainda, opções mais largas, como a cama apelidada de solteirão (1,00 m x 2,00 m) e a cama tamanho ‘viúva’, que mede 1,28 m x 1,88 m. Para o casal, existem várias opções, como: tamanho tradicional, de 1,38 m x 1,88 m, queen, de 1,58 m x 1,98 m ou king, de 1,93 m x 2,03 m.

Não leve apenas o preço em consideração

O colchão é um bem durável e, como explicado, imprescindível para a manutenção da saúde. É por esse motivo que não se deve atentar somente ao preço na hora da escolha, uma vez que existem opções mais baratas que podem ser inferiores na qualidade, causando desvios na coluna e uma noite mal dormida.

A dica é procurar referências de marcas conhecidas e consagradas no mercado de colchões. Os benefícios devem ser colocados em primeiro lugar. No entanto, nada impede que o consumidor pesquise bastante e cote preços a fim de economizar.

Verifique a necessidade dos ocupantes

Pessoas muito alérgicas precisam ter bastante cuidado na hora de dormir. Afinal, travesseiros e colchões têm tecidos e revestimentos que tendem a acumular ácaros e poeira, alguns dos principais causadores de alergia. Nesses casos, é indicado um colchão antialérgico. Já colchões ortopédicos são interessantes para quem sofre com desvios na coluna ou má postura durante o sono, devendo ser indicados por um profissional da área de saúde.

Os modelos de colchão com pillow top podem ser uma boa opção para pessoas magras e para idosos acamados, uma vez que há um revestimento extra na parte superior, deixando o colchão mais macio. Existem, ainda, colchões magnéticos, que proporcionam diversos benefícios durante o sono e outros que se adéquam à necessidade e preferência de todos.

Por que trocar de colchão?

Entendeu o que é importante na hora de escolher qual colchão comprar? Tenha em mente que, mesmo adquirindo um modelo adequado e de qualidade, todo colchão tem vida útil. Normalmente, a durabilidade gira em torno de 5 anos, mas, caso a pessoa note sinais de desgaste, como depressões na superfície, manchas ou rasgos, é fundamental trocar o colchão por outro.

Uma noite mal dormida pode significar cansaço e dores no corpo no dia seguinte, assim como causar mau humor e tornar o trabalho ou estudo pouco produtivos. Para evitar esses e outros problemas, é indispensável comprar um bom colchão.

Tem alguma dúvida sobre qual colchão comprar ou gostaria de contar a sua experiência com a compra? Deixe um comentário para a gente no espaço abaixo! Sua opinião é muito importante.

Colchões AmericanflexPowered by Rock Convert

2 Comentários

  • Pedro

    Na verdade o meu desejo é que os fabricantes fossem sinceros. Que admitissem que os colchões de hoje em dia são feitos para durarem o menor tempo possível. Primeiro porque fica mais barato pra eles montar peças de baixa qualidade, e segundo porque o lucro aumenta, já que as pessoas têm que comprar logo outro.
    Eu usei um até a déc. 90 que estava em uso por 30 anos. Espaço de caracteres acabou

    Reply
    • Americanblog

      Olá Pedro!
      A Americanflex possui os principais selos de certificação do segmento de colchão, que é o selo do INER e selo do INMETRO. Para conseguirmos e principalmente para mantermos essas certificações, passamos por criteriosos testes de qualidade periodicamente. Posso te garantir que ao comprar um de nossos colchões, não temos essa visão de obsolescência programada, queremos garantir uma boa experiência ao nosso consumidor para que ele volte futuramente sim, quando o colchão realmente precisar ser trocado, mas que também recomende o nosso produto.
      O que acontece muito hoje em dia é o cliente comprar um modelo de produto que não é o ideal ao seu biotipo, ou que não tem as características que combinam com o seu gosto, por exemplo, a pessoa prefere um colchão firme e acaba comprando um colchão que tem as características de ser macio. Por isso dá a impressão do colchão durar menos que antigamente.
      Porém, segundo as normas da ABNT, para um colchão ser classificado como um produto de qualidade, ele precisa durar no mínimo 3 anos prevendo que seja utilizado 8h por noites, 7 dias por semana.

      Reply

Responder