Dicas

Saúde mental e sono: qual a relação?

  • 19 de dezembro de 2018
saúde mental e sono

Faz muito tempo que pesquisadores e estudiosos se debruçam sobre o tema insônia e sua associação com as doenças da mente. A partir de diversos experimentos, eles chegaram a descobertas importantes nesse campo. Afinal de contas, qual a relação entre saúde mental e sono?

Em primeiro lugar, é importante deixar claro que, além da qualidade do sono, há outros fatores que interferem na saúde da mente, tais como a prática de exercícios físicos, a alimentação adequada, as funções hormonais, entre outros.

Particularmente sobre o sono, devemos esclarecer que todos nós temos um relógio biológico que nos revela qual é a hora exata de repousar e acordar. Para se sentir bem e saudável, é preciso dormir de seis a nove horas por noite.

Na fase da puberdade, esse relógio interno é bastante alterado. Assim, os adolescentes dormem mais — de nove a onze horas. Isso acontece principalmente pela liberação da melatonina, um dos hormônios do sono.

Neste post, vamos explicar com detalhes a relação entre saúde mental e sono, quais são os problemas associados às noites mal dormidas, as possíveis causas da insônia e as dicas para dormir bem. Confira!

Relação entre saúde mental e sono

O sono é um processo fisiológico fundamental para a nossa saúde e bem-estar. Sua principal função é restaurar o metabolismo do cérebro. Só assim podemos repor as energias perdidas durante o dia.

Mesmo quando estamos dormindo, o cérebro processa informações e cria novas conexões. É durante o repouso, inclusive, que muitos de nós chegam a alguma percepção sobre como solucionar certos problemas.

O contrário ocorre quando dormimos mal. Por isso, quem sofre com problemas relacionados ao sono, encontra dificuldades para processar novos aprendizados obtidos ao longo do dia. Além disso, as noites mal dormidas comprometem a nossa produtividade e qualidade de vida.

É importante ressaltar, ainda, que o sono e os sentimentos são fruto de interações entre diversas partes comuns do cérebro e também de neurotransmissores e hormônios. Logo, a insônia pode provocar disfunções na região cerebral responsável pelas emoções.

Problemas relacionados às noites mal dormidas

Dormir mal prejudica a cognição e o estado de alerta, além de gerar sonolência diurna, fadiga e dificuldades para memorizar informações. O bem-estar emocional também é afetado pela falta de qualidade do sono.

Na lista de problemas de saúde mental associados às noites mal dormidas, estão a ansiedade, a depressão, a síndrome do estresse pós-traumático, o transtorno de hiperatividade com deficit de atenção, o transtorno bipolar, entre outros.

Isso acontece porque a privação do sono tem relação com o pensamento negativo repetitivo. Sendo assim, ela pode não ser apenas uma consequência de doenças mentais, mas a causa. Por si só, algumas noites em claro não são capazes de provocar tais problemas, mas aumentam o risco de tê-los.

Eles atrapalham a rotina pessoal e profissional, pois geram indisposição, impaciência e mau humor, além de prejudicarem a concentração e até mesmo as relações interpessoais. Logo, o sono ruim pode levar à perda do emprego e a acidentes sérios, entre outras consequências.

Para quem dorme pouco ou mal — como no caso de pessoas que acordam várias vezes durante a noite —, a ajuda médica é fundamental. Afinal de contas, esse é um indício de que há algo errado com a qualidade do sono e com a saúde. Apenas o especialista poderá realizar o diagnóstico correto e tratar de forma adequada o problema.

Possíveis causas da insônia

A seguir, listamos algumas causas das noites mal dormidas. Descubra!

Apneia do sono

Despertares frequentes ou prolongados durante a noite são indícios de apneia do sono. Isso acontece por causa da suspensão da respiração, uma vez que o ar não chega até os pulmões. Falta de ar, ronco e cansaço são os principais sintomas da doença. O distúrbio requer tratamento especializado.

Colchão inadequado

colchão inadequado também pode ser a causa de suas noites mal dormidas. Passamos praticamente um terço de nossas vidas sobre ele, portanto, é fundamental que seja confortável e proporcione qualidade de vida.

A dica para acertar na escolha do colchão é, primeiramente, experimentar o modelo em que você se sinta mais à vontade — seja ele rígido ou macio. Há quem prefira os colchões de mola, ao passo que outras pessoas se adequam melhor aos feitos em espuma.

Na hora de comprar o colchão observe, ainda, se ele é apropriado para as suas características físicas. Os modelos confeccionados em espuma, por exemplo, devem ter densidade suficiente para suportar o seu peso. A qualidade e a durabilidade, de ao menos cinco anos, também são fatores importantes para você dormir bem.

Iluminação excessiva no quarto

Abajures e aparelhos eletrônicos ligados ou janelas e cortinas que não contenham totalmente a luz externa atrapalham o sono de qualquer pessoa. O ambiente adequado para dormir é silencioso, limpo e escuro. Portanto, livre-se da iluminação em excesso no quarto para impedir que suas noites sejam mal dormidas.

Estômago ou bexiga cheios

Se você deseja ter uma noite de sono tranquila, jantar ou ingerir bastante líquido momentos antes de ir para a cama não é uma boa ideia. Portanto, essa é uma prática que deve ser evitada.

O peso no estômago pode atrapalhar — e muito — o repouso noturno. Há pessoas, inclusive, que se queixam de dores por causa do mau hábito. Da mesma forma, a bexiga cheia pela ingestão em excesso de bebidas obriga muita gente a se levantar várias vezes para ir ao banheiro durante a noite.

Dicas para dormir bem

O cansaço e as dores no corpo ao despertar estão entre os principais sintomas do sono inapropriado. Para evitar o desconforto, confira algumas dicas para você dormir bem!

  • certifique-se de que seu quarto esteja livre da luz;
  • não use aparelhos eletrônicos antes de dormir, como computador, celular e tablet;
  • não ingira alimentos ou bebidas em excesso antes de ir para a cama;
  • estipule um horário fixo para dormir;
  • evite as sestas prolongadas;
  • não consuma álcool e cafeína horas antes de dormir;
  • pratique exercícios físicos regularmente e sob orientação;
  • se necessário, troque o seu colchão;
  • tenha uma alimentação equilibrada e saudável.

Durante a leitura do post, você aprendeu qual é a relação entre saúde mental e sono. Por fim, lembramos que a qualquer sinal de que há algo errado, a recomendação é procurar um médico para identificar o problema e tratá-lo de forma adequada.

E então, o que achou do conteúdo? Foi útil para você? Para ficar a par de outras novidades, assine agora a nossa newsletter!

Colchões AmericanflexPowered by Rock Convert

Sem Comentários

Responder