Convidados

Sono e peso: o que fazer para manter uma relação saudável?

  • 9 de outubro de 2017

A qualidade do sono é responsável pelo equilíbrio de muitos processos fundamentais no nosso organismo. Além de atuar diretamente na disposição, na regulação hormonal e na sensação de bem-estar, você sabia que há uma relação também entre sono e peso?

Isso mesmo! Dormir bem previne o sobrepeso e ajuda a regular a porcentagem de massa gorda e massa magra no corpo. Aliado à alimentação equilibrada e à prática de exercício físico, o sono é parte fundamental no processo de emagrecimento e ganho de qualidade de vida.

Mas de que forma seus padrões de sono influenciam na sua imagem corporal? Nós explicamos neste post! Acompanhe!

Promoção desconto 10%

Qual é a relação entre sono e peso?

Por atuar diretamente no metabolismo, o sono tem íntima relação com a perda ou ganho de peso. Pessoas que dormem menos de seis horas por noite costumam engordar mais ao longo da vida. A influência do sono sobre o peso corporal se dá de diversas maneiras, que envolvem aspectos físicos e comportamentais. Veja as consequências de noites mal dormidas:

Desequilíbrio dos hormônios da fome

Durante o sono, ocorrem processos fundamentais para o metabolismo, principalmente no que se refere à produção e à circulação de hormônios no corpo. Especificamente, dois deles atuam mais diretamente no peso. São os chamados hormônios da fome: a grelina e a leptina.

A grelina é secretada pelo estômago e é responsável por estimular o apetite. Quando esse hormônio circula no corpo, nós ficamos com fome. Se enfrentarmos noites com sono de baixa qualidade, haverá uma maior produção dessa substância e, consequentemente, sentiremos mais fome.

Já a leptina é produzida pelas células de gordura. Sua função é gerar a sensação de saciedade, informando que não é mais necessário se alimentar e autorizando o início da queima calórica. Quando dormimos mal, o corpo produz menos leptina.

Em resumo, quando o corpo produz mais grelina e menos leptina, os mecanismos de fome e de saciedade não funcionam corretamente, o que contribui para o ganho de peso.

Prejuízo na produção de outros hormônios

Outras substâncias produzidas à noite também têm relação entre sono e peso. Um dos hormônios mais importantes secretados nesse período é o do crescimento (GH). Nos adultos, ele é responsável por manter o vigor físico, reconstruir e proteger os músculos e prevenir o acúmulo de gordura. Com essa produção prejudicada, o corpo tende a preservar a gordura e queimar a massa muscular.

Além dele, durante uma noite ruim também há diferenças na produção de insulina e cortisol. A insulina é menos secretada — e isso prejudica o metabolismo da glicose. Já o cortisol tem sua produção aumentada, o que causa alteração do humor e um aumento dos níveis de estresse.

Consumo excessivo de comida durante o dia

Esse aumento tem relação com a produção de hormônios, mas também com questões comportamentais. Imagine como é sua atuação no trabalho depois de uma noite mal dormida. Provavelmente, você aumenta a ingestão de café, chás, doces e lanches, não é?

Ao dormir mal, nós vamos trabalhar sonolentos, com humor prejudicado e com concentração mais baixa. Com isso, aumentam os episódios de “beliscar” comidas durante o dia, principalmente energéticos, doces e carboidratos. Esse fator, aliado à maior dificuldade para se sentir saciado, acaba influenciando bastante no ganho de peso.

Além disso, quanto mais tempo você passa acordado, maiores as oportunidades para fazer pequenos lanches ou assaltar a geladeira à noite. Em geral, os alimentos consumidos durante a insônia são menos ricos em nutrientes e mais calóricos.

Menor disposição para atividades físicas

Se você dormiu mal e trabalhou com mais dificuldade, provavelmente vai achar difícil realizar um exercício físico, mesmo que ele já faça parte da sua rotina. Depois de noites mal dormidas, é comum que as pessoas faltem à academia ou a outras atividades que costumam fazer. Com o aumento da ingestão de alimentos durante o dia e a diminuição do vigor para gastar calorias, aumenta a probabilidade de ganhar peso.

colchão ideal para você

Por que uma boa noite de sono é importante para a saúde?

Dormir com qualidade é essencial não apenas para a regulação do peso corporal, mas para todo o funcionamento do corpo. Durante o dia, o organismo realiza suas funções em ritmo constante e é à noite o momento em que ele recupera as energias.

Garantir boas noites de sono é uma forma de prevenir doenças e ter mais qualidade de vida. À noite, o corpo precisa de tempo para diversos processos, como síntese de proteínas, produção de hormônios, relaxamento muscular e fortalecimento da imunidade.

Além disso, é durante a noite que o cérebro coordena as inúmeras informações que foram absorvidas no seu trabalho diário. O sono é fundamental para o estabelecimento das conexões neuronais e a fixação das memórias de curto prazo. Por isso, se você tem abdicado da qualidade do seu sono por causa das demandas do dia a dia, saiba que esse hábito pode atrapalhar o seu rendimento.

Em média, a orientação é de que sejam garantidas, pelo menos, oito horas de sono de qualidade por noite — mas esse número pode variar de pessoa para pessoa. Algumas precisam de mais tempo para se sentir revigoradas pela manhã, outras conseguem isso com menos horas. É importante observar o seu corpo e atender às necessidades do seu organismo.

O que fazer para dormir melhor?

Se você quer melhorar suas noites de sono, há algumas dicas que podem ajudar. A primeira é ter uma rotina adequada de sono. Procure estabelecer horários regulares para dormir e acordar — e evite deitar com luzes acesas ou aparelhos eletrônicos ligados. Evite também realizar trabalhos importantes ou exercícios intensos antes de dormir. Esses estímulos aceleram o metabolismo e dificultam a produção da melatonina, o hormônio do sono.

Outra dica é ter um ambiente agradável e com temperatura adequada no quarto. Um colchão de qualidade também é essencial — materiais como fibra de bambu reduzem a temperatura corporal e aumentam o conforto na cama.

Como você viu na relação entre sono e peso, uma noite bem-dormida traz inúmeros benefícios. Siga nossas dicas para dormir com mais qualidade e viver melhor a sua rotina. Descansar é imprescindível para manter a saúde corporal e ter a disposição necessária para o dia a dia corrido das cidades!

Gostou do artigo, mas tem alguma dúvida ou dica para melhorar a qualidade do sono? Deixe um comentário no post!

A qualidade do sono é responsável pelo equilíbrio de muitos processos fundamentais no nosso organismo. Além de atuar diretamente na disposição, na regulação hormonal e na sensação de bem-estar, você sabia que há uma relação também entre sono e peso?

Isso mesmo! Dormir bem previne o sobrepeso e ajuda a regular a porcentagem de massa gorda e massa magra no corpo. Aliado à alimentação equilibrada e à prática de exercício físico, o sono é parte fundamental no processo de emagrecimento e ganho de qualidade de vida.

Mas de que forma seus padrões de sono influenciam na sua imagem corporal? Nós explicamos neste post! Acompanhe!

Qual é a relação entre sono e peso?

Por atuar diretamente no metabolismo, o sono tem íntima relação com a perda ou ganho de peso. Pessoas que dormem menos de seis horas por noite costumam engordar mais ao longo da vida. A influência do sono sobre o peso corporal se dá de diversas maneiras, que envolvem aspectos físicos e comportamentais. Veja as consequências de noites mal dormidas:

Desequilíbrio dos hormônios da fome

Durante o sono, ocorrem processos fundamentais para o metabolismo, principalmente no que se refere à produção e à circulação de hormônios no corpo. Especificamente, dois deles atuam mais diretamente no peso. São os chamados hormônios da fome: a grelina e a leptina.

A grelina é secretada pelo estômago e é responsável por estimular o apetite. Quando esse hormônio circula no corpo, nós ficamos com fome. Se enfrentarmos noites com sono de baixa qualidade, haverá uma maior produção dessa substância e, consequentemente, sentiremos mais fome.

Já a leptina é produzida pelas células de gordura. Sua função é gerar a sensação de saciedade, informando que não é mais necessário se alimentar e autorizando o início da queima calórica. Quando dormimos mal, o corpo produz menos leptina.

Em resumo, quando o corpo produz mais grelina e menos leptina, os mecanismos de fome e de saciedade não funcionam corretamente, o que contribui para o ganho de peso.

Prejuízo na produção de outros hormônios

Outras substâncias produzidas à noite também têm relação entre sono e peso. Um dos hormônios mais importantes secretados nesse período é o do crescimento (GH). Nos adultos, ele é responsável por manter o vigor físico, reconstruir e proteger os músculos e prevenir o acúmulo de gordura. Com essa produção prejudicada, o corpo tende a preservar a gordura e queimar a massa muscular.

Além dele, durante uma noite ruim também há diferenças na produção de insulina e cortisol. A insulina é menos secretada — e isso prejudica o metabolismo da glicose. Já o cortisol tem sua produção aumentada, o que causa alteração do humor e um aumento dos níveis de estresse.

Consumo excessivo de comida durante o dia

Esse aumento tem relação com a produção de hormônios, mas também com questões comportamentais. Imagine como é sua atuação no trabalho depois de uma noite mal dormida. Provavelmente, você aumenta a ingestão de café, chás, doces e lanches, não é?

Ao dormir mal, nós vamos trabalhar sonolentos, com humor prejudicado e com concentração mais baixa. Com isso, aumentam os episódios de “beliscar” comidas durante o dia, principalmente energéticos, doces e carboidratos. Esse fator, aliado à maior dificuldade para se sentir saciado, acaba influenciando bastante no ganho de peso.

Além disso, quanto mais tempo você passa acordado, maiores as oportunidades para fazer pequenos lanches ou assaltar a geladeira à noite. Em geral, os alimentos consumidos durante a insônia são menos ricos em nutrientes e mais calóricos.

Menor disposição para atividades físicas

Se você dormiu mal e trabalhou com mais dificuldade, provavelmente vai achar difícil realizar um exercício físico, mesmo que ele já faça parte da sua rotina. Depois de noites mal dormidas, é comum que as pessoas faltem à academia ou a outras atividades que costumam fazer. Com o aumento da ingestão de alimentos durante o dia e a diminuição do vigor para gastar calorias, aumenta a probabilidade de ganhar peso.

Por que uma boa noite de sono é importante para a saúde?

Dormir com qualidade é essencial não apenas para a regulação do peso corporal, mas para todo o funcionamento do corpo. Durante o dia, o organismo realiza suas funções em ritmo constante e é à noite o momento em que ele recupera as energias.

Garantir boas noites de sono é uma forma de prevenir doenças e ter mais qualidade de vida. À noite, o corpo precisa de tempo para diversos processos, como síntese de proteínas, produção de hormônios, relaxamento muscular e fortalecimento da imunidade.

Além disso, é durante a noite que o cérebro coordena as inúmeras informações que foram absorvidas no seu trabalho diário. O sono é fundamental para o estabelecimento das conexões neuronais e a fixação das memórias de curto prazo. Por isso, se você tem abdicado da qualidade do seu sono por causa das demandas do dia a dia, saiba que esse hábito pode atrapalhar o seu rendimento.

Em média, a orientação é de que sejam garantidas, pelo menos, oito horas de sono de qualidade por noite — mas esse número pode variar de pessoa para pessoa. Algumas precisam de mais tempo para se sentir revigoradas pela manhã, outras conseguem isso com menos horas. É importante observar o seu corpo e atender às necessidades do seu organismo.

O que fazer para dormir melhor?

Se você quer melhorar suas noites de sono, há algumas dicas que podem ajudar. A primeira é ter uma rotina adequada de sono. Procure estabelecer horários regulares para dormir e acordar — e evite deitar com luzes acesas ou aparelhos eletrônicos ligados. Evite também realizar trabalhos importantes ou exercícios intensos antes de dormir. Esses estímulos aceleram o metabolismo e dificultam a produção da melatonina, o hormônio do sono.

Outra dica é ter um ambiente agradável e com temperatura adequada no quarto. Um colchão de qualidade também é essencial — materiais como fibra de bambu reduzem a temperatura corporal e aumentam o conforto na cama.

Como você viu na relação entre sono e peso, uma noite bem-dormida traz inúmeros benefícios. Siga nossas dicas para dormir com mais qualidade e viver melhor a sua rotina. Descansar é imprescindível para manter a saúde corporal e ter a disposição necessária para o dia a dia corrido das cidades!

Gostou do artigo, mas tem alguma dúvida ou dica para melhorar a qualidade do sono? Deixe um comentário no post!

Sem Comentários

Responder