Dicas

Vamos falar sobre sono na terceira idade?

  • 14 de março de 2018
Sono na terceira idade

Assim que nascemos, precisamos de uma média de 14 a 17 horas de sono por dia. Esse número vai diminuindo muito conforme crescemos e chegamos na terceira idade. Depois dos 60 anos, é normal dormir apenas cerca de sete horas diárias. Além da quantidade, a qualidade do sono também muda quando ficamos mais maduros.

Quer descobrir mais sobre as características do sono na terceira idade? Então acompanhe-nos na leitura deste post!

Promoção desconto 10%

O sono na terceira idade

Muitas coisas mudam em nosso organismo com o passar da idade, e o padrão do sono está entre elas. Nos mais velhos, a vontade de ir para a cama chega mais cedo, e eles também começam a se despertar mais cedo. Durante a noite, o sono é mais leve, e há a tendência de despertar mais vezes antes da hora de se levantar.

Além disso, é comum que eles tenham picos de sono no meio da manhã e à tarde. Por isso, é comum que vovôs e vovós tirem alguns cochilos durante o dia, até quando estão fazendo algumas atividades, como ler ou assistir à TV.

Outra coisa que muda é a quantidade de melatonina (substância conhecida como o hormônio do sono) no organismo. Em uma pessoa de 60 anos, os níveis desse neurotransmissor é aproximadamente metade do presente em uma pessoa de 20 anos.

No Brasil, a venda de suplementos de melatonina é proibida pela Agência de Vigilância Sanitária. Mas, nos Estados Unidos e em outros países, é comum que o medicamento seja prescrito como uma forma de melhorar a qualidade do sono de quem já não produz mais a substância como costumava produzir.

Sono e longevidade

Paradoxalmente, a boa qualidade do sono está diretamente relacionada à longevidade. Vários estudos já comprovaram essa relação. Em 2002, uma pesquisa conduzida na Universidade da Califórnia analisou 1,1 milhão de pessoas e mostrou que aqueles que dormem cerca de sete horas por noite vivem mais.

Depois, em 2014, um estudo feito por pesquisadores da Universidade Federal de São Paulo confirmou a relação entre a boa qualidade do sono e mais anos de vida.

E, no livro “The Promise of Sleep” (A promessa do sono, em livre tradução), o pesquisador William C. Dement, da Universidade de Stanford, estabelece o sono como o principal fator determinante da longevidade — mais até do que tabagismo e alimentação saudável.

Mas garantir a qualidade das suas noites não é somente um investimento no futuro. O sono é também um dos principais fatores na prevenção de doenças.

Riscos das noites mal dormidas

Não é raro que as pessoas acordem de mau humor depois de uma noite mal dormida. Porém, não é só o seu estado de espírito que sofre quando você não descansa bem.

Vários sistemas corporais têm seu funcionamento prejudicado pela falta de sono: coração, pulmões, sensibilidade à dor, tempo de reação e funções cerebrais, como memória e capacidade cognitiva.

O sono ruim também está relacionado a uma maior chance de desenvolver doenças cardíacas, além de prejudicar o sistema imunológico — ou seja, a pessoa fica mais vulnerável a infecções, como a gripe.

Quem dorme mal pode ter um risco aumentado para a depressão e o abuso de substâncias. A falta de sono também pode afetar o peso corporal e contribuir para a obesidade.

Excesso de sono e hipertensão

Algumas pesquisas relacionam a falta de sono à hipertensão arterial. Por outro lado, o excesso de sono na terceira idade também pode ser um indicador de que algo vai mal com a pressão do sangue.

Durante o dia, enquanto a pessoa está ativa, a pressão tende a ser naturalmente mais alta. Já à noite, quando todo o corpo está de repouso, a pressão abaixa. Em quem dorme pouco ou tem insônia, esse sistema falha, e a tensão sanguínea não sofre sua baixa normal.

O caso é ainda mais grave se a pessoa sofre de apneia do sono. Nessas situações, a interrupção do dormir é seguida por uma liberação de adrenalina. Essa descarga provoca uma aceleração no coração, que bombeia mais sangue e aumenta a pressão.

colchão ideal para você

Como dormir com tranquilidade

Por mais que os hormônios promovam mudanças radicais em nosso organismo ao longo da vida, alguns hábitos são capazes de ajudar ou atrapalhar na hora de deitar a cabeça no travesseiro e ter sonhos tranquilos.

Veja algumas dicas de como conseguir uma boa e revigorante noite de sono:

Fique atento às bebidas ingeridas

Bebidas com cafeína são as grandes inimigas do descanso à noite. Essa substância é um estimulador neural que acelera as ondas cerebrais, o seu cérebro não manda para o resto do organismo a mensagem de que você precisa descansar.

O mais óbvio quando falamos em cafeína é pensar no café. Mas há outras bebidas que também contêm grandes quantidades da substância. Alguns exemplos são os chás mate, preto e verde, o guaraná  e os refrigerantes à base de cola.

Tenha horários regrados

Dormir e acordar sempre no mesmo horário é um outro segredo para dormir bem. A exposição à luz e as horas de sono são duas grandes chaves para a regulação do ciclo circadiano — também chamado de relógio biológico.

Quando você dorme e acorda nos mesmos horários sempre, está educando o seu “timer” interno sobre as horas em que deve estar desperto e aquelas em que pode descansar.

Com o tempo, o próprio organismo vai passar a enviar a mensagem da sonolência quando você estiver se aproximando do horário em que normalmente vai para a cama.

Evite comer muito antes de dormir

Por maior que seja o sono depois de bater aquele prato farto de comida, dormir de barriga cheia não é uma boa ideia. Alimentos pesados, ou uma porção de comida grande demais logo antes de ir para a cama é um fator que vai prejudicar o seu descanso.

O ideal é fazer a sua última grande refeição pelo menos umas três horas antes de dormir. Se, tarde da noite, bater aquela fomezinha, prefira algo leve, como uma sopa.

Se a comida for quente, melhor ainda, pois alimentos e bebidas com temperaturas mais altas promovem uma sensação de conforto, que ajuda a dormir melhor.

Aposte nos exercícios físicos

Se você pensa que as pessoas que estão na terceira idade já não precisam ou não podem praticar atividades físicas, está muito enganado! Exercícios físicos trazem benefícios a todas as idades.

A prática constante de atividades moderadas, como uma caminhada, hidroginástica, dança ou ioga, libera neurotransmissores que equilibram o humor, aumentam a sensação de bem-estar geral e também melhoram a qualidade do sono.

Mas, atenção: prefira fazer essas atividades no período da manhã. Exercícios muito intensos à noite podem fazer você demorar mais a pegar no sono, devido à quantidade de endorfina liberada.

Um bom descanso é fundamental para qualidade de vida em todas as etapas. Mas o sono na terceira idade pode ter um papel mais importante ainda, de continuar garantindo a longevidade e a prevenção de doenças. É por isso que a Americanflex, uma empresa também já com seus 60 anos de vida, se preocupa em proporcionar a você as melhores noites e os melhores sonhos.

Gostou deste artigo? Então temos certeza de que vai também gostar da nossa newsletter! Assine-a e receba nossos conteúdos exclusivos em seu e-mail!

Colchões Americanflex

Sem Comentários

Responder