Relaxamento

Tipos de colchão: qual é o melhor?

  • 8 de janeiro de 2018
Família Sob o Colchão Americanflex

Não existe nada tão gostoso quanto dormir em uma cama confortável após uma longa jornada de trabalho ou de estudos, não é mesmo? Para que o descanso seja pleno, porém, é preciso repousar o corpo em um colchão de alta qualidade e adequado para o seu tipo físico. Nessa hora, conhecer os principais tipos de colchão disponíveis no mercado pode fazer toda a diferença para a sua saúde.

Colchões inadequados ou de má qualidade podem causar dores no corpo, desgastes na coluna, sono pouco revigorante e até mesmo insônia. Além disso, uma noite mal dormida reflete em todo o dia seguinte, deixando-nos improdutivos, cansados e estressados. Para evitar que isso aconteça com você, é importante escolher um colchão adequado às suas necessidades, capaz de garantir benefícios para a saúde e uma excelente qualidade de vida.

Neste guia, você vai conhecer os melhores tipos de colchão e entender o que é preciso para escolher o seu. Continue a leitura e prepare-se para noites plenas de conforto!

1. Colchão para o casal

O colchão de casal é indispensável para garantir uma boa noite de sono em família. Na hora de se casar e deixar a cama de solteiro para trás, no entanto, a dúvida é sempre a mesma: como escolher um modelo de colchão que agrade a ambos? De fato, em meio a tantas marcas, preferências e tipos de colchão, pode ser difícil escolher o ideal.

A verdade é que essa escolha deve sim ser feita com muito cuidado. Como você viu, noites mal dormidas podem deixar as pessoas estressadas, cansadas e impacientes, algo que pode ser bastante prejudicial para a vida a dois. Por isso, é preciso conhecer os tipos de colchão de casal para escolher o mais adequado.

Primeiramente, deve-se pensar no espaço do quarto para escolher o tamanho da cama. Lembre-se que as dimensões do colchão devem acomodar confortavelmente a estatura do casal, garantindo que nenhum dos dois fique com os pés para fora na hora de dormir. Normalmente, os colchões possuem padrões pré estabelecidos, mas pessoas muito altas podem não conseguir encaixar o seu biotipo em um modelo existente. Nesse caso, é necessário comprar um colchão sob medida

Outro ponto fundamental que vai definir a sua escolha é o peso que o colchão terá que suportar dos dois lados. Hoje, além dos modelos tradicionais — que podem ser usados por casais que possuem pesos semelhantes —, já existem colchões pensados especialmente para parceiros que possuem uma diferença de peso muito grande. O mecanismo de molas interligadas, também conhecido como TriPower, pode não ser o mais indicado aqui, pois permite que um movimento seja sentido quando alguém se mexe em uma das extremidades.

Essa situação pode ser muito desagradável para casais que possuem uma diferença de peso considerável ou tem o sono leve, visto que até um leve movimento poderá acordar o cônjuge. Nesse caso, o modelo ideal é um colchão de molas ensacadas individualmente, como a do molejo LFK, que amortecem os movimentos e não causam nenhum incômodo.

Por fim, também é importante conversar sobre as preferências de cada um antes da escolha. Afinal, algumas pessoas preferem modelos mais rígidos, enquanto outras gostam de colchões mais moles, por exemplo. Sendo assim, converse com seu parceiro e chegue em uma decisão que seja boa para ambos.

2. Colchão para crianças e bebês

Para os pais, o momento de escolher o colchão para crianças e bebês também costuma ser repleto de dúvidas. Afinal, os pequenos estão em fase de crescimento, tanto da musculatura e órgãos quanto dos ossos, e por isso é indispensável escolher um modelo adequado e que não atrapalhe o desenvolvimento. E como o sono é um processo fisiológico, sua qualidade interfere diretamente na produção de hormônios e das funções vitais.

O hormônio do crescimento, por exemplo, também é produzido durante o dia, mas sua produção mais intensa ocorre durante o sono profundo. Esse estado, por sua vez, só é alcançado em um colchão confortável. É importante salientar ainda que o colchão para crianças e bebês não é o mesmo indicado para adultos, então fique atento para adquirir o modelo certo para a idade e peso dos pequenos.

Normalmente, quando os pais compram um berço, o colchãozinho para bebês vem no pacote, mas ele nem sempre é o mais adequado. Nesses casos, o que deve ser levado em conta na escolha é a densidade do colchão. Para as crianças, a densidade ideal dos modelos de colchão varia conforme o seu peso e a sua estatura. Desse modo, é possível que os fabricantes montem uma tabela de densidade para cada idade, visto que certos pesos e estaturas são comuns às faixas etárias. No entanto, se o seu filho é muito grande ou pequeno para a sua idade, convém comparar modelos indicados para idades acima ou abaixo.

Os colchões mais indicados para as crianças são os feitos de espumas confortáveis. Também é importante que o modelo escolhido tenha um bom grau de firmeza para evitar deformações. Para bebês e crianças de até 3 anos, recomenda-se a densidade 18 ou 20 (D18 ou D20), em um colchão plano, firme e sem plásticos. Essa medida é importante para evitar sufocamentos.

Pais de crianças na faixa etária de 3 a 8 anos devem escolher um modelo de colchão em espuma na densidade D23. Após os 8 anos, é interessante analisar a densidade ideal pela tabela de densidades, normalmente fornecida pelos fabricantes. Nela, é possível obter o índice ideal ao cruzar as informações de peso e altura. Até essa idade, os colchões de mola não são boas opções, visto que a estrutura óssea da criança ainda não está completamente formada.

Outra dica para o casal que possui crianças em casa é investir em protetores impermeáveis, tanto para o colchão quanto para os travesseiros. Isso porque é comum que crianças façam xixi na cama até os 8 anos, principalmente durante a noite. Além disso, também pode acontecer de algum líquido vazar da fralda do bebê, por exemplo. Lembre-se que os lençóis são fáceis de trocar e lavar, mas o colchão não, então não deixe de se prevenir.

Caso algum acidente como esse aconteça, recomenda-se limpar a parte afetada com álcool 70% e deixar o colchão secar ao sol por algumas horas. O processo ajudará na evaporação da urina, eliminando odores desagradáveis e garantindo a vida útil do colchão por muito mais tempo.

colchão ideal para você

3. Modelos para todos os gostos

Espuma

Os colchões de espuma possuem preços atraentes no mercado, mas fique atento: na hora de comprar um colchão, é preciso considerar questões além do valor. Tenha em mente que você está adquirindo um bem durável, então é importante garantir um produto de qualidade e capaz de proporcionará um sono reparador.

É importante lembrar aqui que a durabilidade de um colchão de espuma é menor: ele dura de três a cinco anos a depender do modelo, fabricante e espuma utilizada. Por isso, é preciso colocar o preço e a durabilidade na balança para conferir se não seria melhor adquirir um modelo diferente.

No entanto, existem excelentes tipos de colchão de espuma no mercado. Na hora da compra, verifique se o modelo escolhido é aprovado pelo INMETRO (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia) e se não contém misturas de espumas em seu interior, pois a composição e o tipo de espuma utilizado é o que irá definir a qualidade do colchão.

Existem diversas tecnologias para garantir o conforto, e uma das mais usadas é a espuma viscoelástica. Desenvolvida pela NASA (Agência Espacial Norte-Americana), esse modelo possui o efeito memória e ativa a circulação sanguínea, prevenindo câimbras durante a noite. Essa espuma também oferece outros benefícios, como a capacidade de se moldar ao corpo, garantindo o máximo de conforto, e uma sustentação firme, fator responsável por promover uma boa postura ao dormir. Além disso, o material é resistente a ácaros e é antialérgico.

A Hiper AMX, tecnologia de espuma muito durável, proporciona uma experiência confortável e temperatura agradável ao seu usuário. É ideal para pessoas com peso mais elevado, visto que suporta altas cargas sem perder sua vida útil. Já a espuma de gel, relativamente nova no mercado, proporciona maior ativação da circulação sanguínea, o que alivia as dores musculares. Além disso, seu material fresco é capaz de controlar a temperatura e promover uma noite mais agradável para o seu usuário.

A escolha do tipo de espuma é tão importante quanto a sua densidade, pois da mesma forma como acontece com os modelos para crianças, a densidade adequada para os adultos também é calculada de acordo com o peso. Assim, a densidade D23 é indicada para quem pesa até 60kg, D28 para quem pesa até 70kg, D33 para quem pesa até 90kg e D45 para quem pesa até 120kg.

É importante lembrar que não há problema em adquirir uma densidade maior do que a adequada para o seu peso, mas o inverso nunca deve ocorrer: um colchão de densidade baixa pode gerar dores nas costas e deformações consideráveis no colchão, o que diminui a sua vida útil.

Látex

O látex, matéria-prima que dá origem a diversos tipos de borracha, é extraído das árvores seringueiras, muito presentes na flora brasileira. Existem três tipos de colchão de látex: o primeiro é feito com 100% feito desse material orgânico, o segundo com 100% de látex sintético e o terceiro é uma mistura de ambos. O látex pode ser fabricado por meio de duas tecnologias. A Dunlop, a mais tradicional, produz um látex leve e firme. Já a Talalay, mais recente, é utilizada para formar as versões sintéticas do látex.

Esse material promove um efeito muito parecido ao da espuma viscoelástica, ou seja, proporciona o usuário uma experiência confortável ao minimizar os pontos de pressão e se moldar ao corpo. Além disso, como ácaros, bactérias e demais micro-organismos não sobrevivem na borracha, esse tipo de material confere ao colchão uma grande durabilidade, além de ser interessante para pessoas alérgicas.

Além disso, como o látex é um recurso renovável, o colchão desse material é um produto sustentável e amigo da natureza. Porém, como ponto negativo podemos citar o seu valor elevado, devido à dificuldade de extração e produção dos colchões de látex.

Molas

O colchão de molas internas é muito popular hoje em dia. Ele apresenta um sistema de molas, normalmente de aço, recoberto por materiais que proporcionam o amortecimento ideal para o corpo. Apesar do preço ser um pouco mais elevado do que os colchões de espuma, esse modelo apresenta diversas tecnologias de mola, bastando saber identificar qual é o mais adequado às necessidades do usuário.

Assim como nos colchões de espuma, a densidade dos colchões de mola também deve ser observada antes da escolha. Mas fique atento, pois as regras são diferentes e variam conforme a tecnologia utilizada. As molas bonnel e as do tipo pocket (ou ensacado) suportam até 90kg. A superelastic suporta até 110kg, o molejo LFK até 120kg e o Miracoil até 150kg. Por isso, é importante escolher o colchão de acordo com o integrante mais pesado, no caso dos casais.

A seguir, apresentaremos as duas principais tecnologias desse tipo de colchão: as molas ensacadas e as molas bonnel.

Molas Ensacadas

Para casais (ou mesmo pessoas solteiras) que desejam um colchão moderno e muito confortável, o modelo de molas ensacadas é o mais recomendado. Nessa tecnologia, cada mola do colchão é embalada de forma individual, garantindo que os movimentos sejam absorvidos e não se espalhem até a outra extremidade do colchão. Assim, mesmo que um cônjuge se mova muito durante o sono, acorde com frequência na madrugada ou tenha um peso consideravelmente maior, ele não incomodará ou acordará o seu parceiro durante a noite.

A AmericanFlex possui uma nova tecnologia em molas ensacadas chamada Molejo LFK. Ela consiste em um modelo de molas cônicas que possuem terminação retangular, permitindo um movimento ainda maior de independência em relação a outras molas ensacadas. O Molejo LFK também se adapta à curvatura do corpo, garantindo um alinhamento correto da coluna vertebral. Isso acontece porque as molas possuem um mecanismo para responder a diferentes pressões, respeitando o contorno do corpo e suas extremidades. Assim, independentemente da forma como você dorme, é possível alcançar uma posição anatômica e confortável, o que promove uma noite de sono reparadora, evita possíveis dores e problemas de coluna e acomoda melhor os ombros e o quadril.

Por ser ensacada individualmente, esse tipo de mola promove uma melhor circulação do ar, garantindo que a temperatura fique agradável e não haja acúmulo de umidade. Isso é importante para pessoas alérgicas e para evitar que fungos e outros micro-organismos se instalem, garantindo a vida útil do produto. O colchão de molas ensacadas também é muito macio. Antigamente, acreditava-se que modelos rígidos eram ideais para a saúde da coluna. Hoje, no entanto, sabemos que a coluna possui algumas curvaturas fisiológicas que devem ser respeitadas, e é importante que o colchão tenha um certo grau de maciez para permitir que essas curvas se acomodem e não ocorram deformações.

Para completar, a maioria dos colchões de mola ensacada possuem a tecnologia chamada PillowTop, uma camada extra sobre as molas que promete maior conforto e maciez para a sua cama. O PillowTop também reforça o sistema de sustentação das molas, garantindo maior redução nos extremos do corpo, como joelhos e cotovelos.

Molas Tripower

As molas Tripower são um tipo de mecanismo no qual todas as molas estão interligadas ao longo do colchão. Esse tipo de tecnologia costuma sair mais em conta do que os colchões de mola ensacada, fazendo desta uma ótima opção para quem não abre mão de um colchão de mola, mas não deseja gastar um valor muito alto com a peça.

Como já mencionamos, porém, esse modelo transmite os movimentos que acontecem em toda a extensão do colchão, visto que suas molas são conectadas, o que pode ser desconfortável. Assim, ele é ideal para pessoas solteiras.

Vale mencionar que esse modelo é muito confortável, apresenta ótima durabilidade e oferece grande suporte para altas cargas de peso.

Outra vantagem é que as molas não costumam fazer muito barulho à noite, já que também possuem uma camada extra sobre sua extensão. Além disso, assim como as molas ensacadas, as molas Tripower se adaptam às curvaturas corporais, proporcionando um sono reparador e evitando problemas e dores na coluna.

4. Colchão e a sua densidade

Até agora, você descobriu a importância de saber a densidade do colchão, seja ele de espuma ou de molas, e entendeu quais são as densidades ideais para cada peso em cada modelo de colchão. Mas você sabe de fato o que é a densidade do colchão?

A densidade é um termo técnico, determinado pelo INMETRO e de acordo com as normas da ABNT, que se refere ao peso de um bloco de espuma que meça 1m3. Assim, um bloco de espuma que tenha a densidade D33, por exemplo, suportará 33kg e assim por diante. No entanto, perceba que um colchão D33 suportará um peso muito maior, visto que ele não terá somente 1m3. Nesse caso, ele suportaria cerca de até 120kg.

Esse detalhe é fundamental na fabricação, visto que ele relaciona o peso e a altura da pessoa que se deitará sobre o colchão. Desse modo, quanto maior a densidade do colchão, mais peso ele suportará. Se uma pessoa de 90kg compra um colchão que tenha densidade ideal para até 60kg, por exemplo, ela com certeza ficará desconfortável, além de possivelmente desgastar o seu colchão com maior facilidade. Ele também vai durar menos e pode trazer problemas de coluna, dores e até insônia.

Para facilitar a sua escolha, peça ao vendedor para conferir as tabelas de densidade que relacionam o peso e altura. Assim, será possível determinar qual é a densidade ideal para obter o máximo de conforto e durabilidade do seu colchão.

5. Como dormir melhor

Sabemos que a qualidade de um colchão interfere diretamente em uma noite bem dormida. Caso você já tenha comprado um bom colchão e continue com problemas para pegar no sono, porém, é preciso descobrir como dormir melhor.

A boa notícia é que existem dicas bem válidas de higiene do sono. O primeiro passo é desligar aparelhos eletrônicos — como smartphones, TVs e tablets — pelo menos duas horas antes de dormir, pois esses dispositivos emitem uma luz que impede a produção natural de melatonina, hormônio responsável pelo sono. Quando nosso organismo não recebe esse sinal, o corpo fica desperto e o sono pode demorar a chegar.

Apesar de algumas luzes não afetarem tanto a produção da melatonina, somente o escuro total pode proporcionar a máxima produção do hormônio. Portanto, o lugar ideal para dormir, além de ter com um colchão confortável, deve ser completamente escuro, livre de barulhos e em temperatura agradável. Caso você não consiga dormir no completo escuro, opte por luzes vermelhas no seu abajur, pois a luz branca, assim como a luz azul de smartphones, computadores e televisões, inibem a produção de melatonina.

Você também pode adotar bons hábitos antes de dormir, como tomar um banho morno ou ler um livro. É importante que a leitura seja calma, visto que livros muito excitantes, como os de ficção, podem prender a sua atenção e não deixá-lo dormir. Por fim, procure adquirir também o hábito de acordar e ir dormir no mesmo horário: isso ajudará no controle do ciclo circadiano e no combate à insônia.

Uma noite mal dormida reflete de forma negativa no dia seguinte — afinal, o cansaço e as dores no corpo podem deixar qualquer pessoa pessimista e mau humorada. Por isso, escolher e comprar um bom colchão para evitar esse problema é indispensável.

Seja ele de látex, mola ou espuma, o importante é que o colchão supra as necessidades do usuário e promova uma noite de sono revigorante. Para escolher a melhor opção, pesquise bastante e não deixe de provar os colchões nas lojas. Caso busque um modelo para casal, não se esqueça de levar o seu parceiro para simular a experiência que vocês terão em casa. Lembre-se também que a densidade para cada peso deve ser respeitada para evitar o desgaste prematuro da sua peça, garantindo mais saúde para a sua coluna.

Gostou de conhecer os principais tipos de colchão e está pronto para escolher o ideal para você? Então confira essas 6 estratégias para dormir mais cedo e aproveite ao máximo as suas noites de sono!

Colchões AmericanflexPowered by Rock Convert

Sem Comentários

Responder